A Roma ganhou uma excelente notícia nas últimas horas. A construção do novo estádio do clube ganhou a permissão da prefeitura da capital italiana. Durante os últimos dias, o município barrou o projeto, exigindo algumas mudanças antes permitidas pela gestão do prefeito anterior. Posteriormente, os giallorossi sentaram com os políticos e entraram em acordo sobre as transformações em algumas ideias. As boas novas foram anunciadas pela própria prefeita de Roma, Virgina Raggi.

VEJA TAMBÉM: Conheça o novo estádio da Roma, já chamado de ‘Coliseu moderno’

“Esse é um dia histórico. Nós estamos muito orgulhosos e felizes por este acordo que melhora o projeto e permitirá à cidade contar com algo grande, sobre o qual precisa sentir orgulho. É um dia histórico não apenas para a Roma”, declarou. “Nós revolucionamos o design do estádio da Roma e tornamos isso em oportunidade para a cidade. Sempre dissemos que conseguiríamos fazer o estádio acontecer, mas apenas com a lei e pelo bem da nossa cidade. Conseguimos. Nós evitamos o projeto monstruoso permitido pela administração anterior. O estádio agora é mais moderno, mais amigável ao meio ambiente, avançado do ponto de vista tecnológico e, acima de tudo, respeita o espaço. Um estádio bem feito”.

Segundo Raggi, a maior mudança se concentra no parque comercial, que teve o seu espaço reduzido em 60% com a eliminação de três torres. Ela afirmou que o padrão da construção foi elevado. Também assegurou que o distrito não estará mais sob riscos de inundações, como estudos anteriores demonstraram, enquanto uma nova estação de trem será construída para oferecer suporte ao local.

No entanto, nem tudo está resolvido para a Roma. Neste sábado, a agência de defesa aos consumidores italianos anunciou que lançará um apelo na justiça para assegurar que o projeto é realmente útil para os cidadãos e não representa apenas um presente às construtoras. “Nós ainda não sabemos o quanto isso custará à cidade de Roma e aos romanos. Qual serviço público ainda resta? Parece que construiremos uma catedral no deserto, precisamente o que estamos tentando evitar”, apontou Laura Coccia, representante do Partido Democrático.

Inicialmente, a Roma tinha o projeto de finalizar a construção do novo estádio três anos depois de sua aprovação pela prefeitura. Mas, enquanto as obras permanecem sujeitas aos interesses políticos e à discussão pertinente sobre o impacto sobre os cidadãos, os giallorossi seguirão atuando no Estádio Olímpico.