O Valencia começou a temporada de forma titubeante, mas o jogaço que protagonizou neste sábado contra o Barcelona mostra que o rumo do time é outro. Sob o comando de Cesare Prandelli, fez um duelo gigante contra o Barcelona no estádio Mestalla, que só teve vencedor no último minuto. E por muito pouco, Diego Alves não rouba a cena mais uma vez. Lionel Messi cobrou um pênalti com técnica e precisão e o goleiro brasileiro passou perto de defender. Um jogaço que acabou em 3 a 2 e coloca o time do trio MSN na liderança do Campeonato Espanhol.

LEIA TAMBÉM: O que faz La Liga ser mais difícil para Barcelona e Real Madrid nesta temporada?

Só que o Barcelona deixa o estádio Mestalla com uma baixa. O meia Andrés Iniesta deixou o gramado machucado, com uma lesão de ligamentos que pode afastá-lo por um bom tempo. As primeiras previsões são de três a quatro meses parado, o que deixaria o time sem o seu capitão e um dos seus craques por um período importante da temporada. Ele deixou o gramado aos 14 minutos, substituído por Ivan Rakitic, que tinha começado no banco para André Gomes jogar.

Com a braçadeira passada a Lionel Messi, o camisa 10 foi justamente quem abriu o placar. Aos 22 minutos, depois de jogada pela direita, Messi finalizou da entrada da área de pé esquerdo para marcar 1 a 0. Foi o placar do primeiro tempo. O Valencia reclama, e com razão, de um pênalti não marcado do zagueiro Umtiti em Rodrigo. O árbitro mandou seguir.

A lei do ex apareceu quando, aos sete minutos do segundo tempo, Munir também completou uma jogada pela esquerda com um bom chute de pé esquerdo e empatou o jogo. Ele não comemorou – o atacante ainda pertence ao Barcelona e está emprestado nesta temporada aos Ches. Quatro minutos depois de empatar, o Valencia virou o jogo. Nani deu um lindo passe por cima da defesa para Rodrigo bater e virar.

O gol de empate, porém, não demorou muito a chegar. Aos 17 minutos, Suárez aproveitou o rebote da defesa para pegar firme, de primeira, e estufar a rede do time da casa. O jogo ficou intenso, os dois times correndo e se esforçando muito. O Valencia teve alguns bons contra-ataques, mas pareceu faltar pernas. Assim como, em alguns momentos, o Barcelona mostrou cansaço na marcação das jogadas rápidas dos Ches.

O empate parecia destinado a continuar até o fim, mas aos 46 minutos, uma troca de passes rápida entre Neymar, Messi e Suárez acabou em pênalti para o Barcelona. Só que isso não significou comemoração antes. Diego Alves é o maior pegador de pênaltis da história da liga espanhola. Por isso, foi preciso dar a responsabilidade a quem tem peso para carregá-la: Messi.

O capitão do time, melhor do mundo, já desperdiçou alguns pênaltis. Não é a sua especialidade. Mas só ele poderia cobrar naquele momento, em um lance tão decisivo. Não porque Suárez ou Neymar não tenham qualidade ou peso, mas porque ele é o melhor do mundo, o capitão, a responsabilidade não poderia ser de outro. E foi assim que ele foi para a bola.

Diego Alves tentou desestabilizar Messi ficando na frente da bola e falando alguma coisa com ele. Foi afastado pelo árbitro e por outros jogadores do Barcelona. O nervosismo era grande no estádio, de ambos os lados. A tensão só acabou quando Messi foi para a bola e cobrou um muita precisão e muita categoria, com a parte de fora do pé, forte, no canto direito de Diego Alves. O goleiro foi na bola, passou perto dela, mas não conseguiu alcançar. Gol do Barcelona. Vitória do time visitante.

A vitória leva o Barcelona a 19 pontos, em primeiro lugar na tabela. Atlético de Madrid e Real Madrid, ambos com 18 pontos, ainda jogam na rodada, neste domingo, e podem retomar a ponta. Mas a vitória no Mestalla é de muita importância para os blaugranas, tanto pelos pontos, quanto pela moral alta que deixa a equipe.