Em teoria, a Pré-Libertadores garante os times menos qualificados na fase de grupos. Porém, se engana quem pensa que enfrentar um time que sai das preliminares é garantia de vitórias fáceis. Considerando o retrospecto dos times que passaram pela qualificação, 58,4% deles alcançaram ao menos as oitavas de final – e já provaram que é possível até mesmo sonhar com o título.

A “fase moderna” da Pré-Libertadores foi iniciada em 2005 – entre 2000 e 2003, era disputada apenas por venezuelanos e mexicanos. Desde então, 48 clubes precisaram atravessar o mata-mata antes de chegar à fase de grupos. E 28 deles foram além, se posicionando entre os 16 melhores do continente.

Números elevados pelo Brasil

O desempenho é claramente impulsionado pelos clubes brasileiros. Dos 11 clubes que sobreviveram à primeira fase, apenas um foi eliminado precocemente: o Flamengo, superado por Olimpia e Emelec em seu grupo em 2012. Em compensação, o único que avançou até as semifinais foi o Santos, derrubado  pelo Grêmio de Mano Menezes em 2007.

O único país a superar o aproveitamento brasileiro é o México. Todos os cinco clubes do país que disputaram a Pré-Libertadores chegaram aos mata-matas. O Chivas foi duas vezes semifinalista, caindo para o Atlético Paranaense em 2006 e para o São Paulo na edição seguinte.

Estudiantes, o único campeão

Os clubes da Argentina não possuem uma marca tão respeitável assim: quatro ficaram pela fase de grupos, enquanto quatro passaram às oitavas. Contudo, o país é o único que tem a honra de possuir um finalista que iniciou a campanha nas preliminares. O Estudiantes foi a campo 16 vezes para ficar com o título em 2009.

Curiosamente, os pincharratas beiraram a eliminação na Pré-Libertadores: perderam para o Sporting Cristal por 2 a 1 em Lima e venceram por 1 a 0 em La Plata, se classificando graças aos gols fora de casa. Daí em diante, o time de Alejandro Sabella ficou com a segunda posição no Grupo E, que também contava com Cruzeiro, Deportivo Quito e Universitário de Sucre, e eliminou Libertad, Defensor e Nacional, antes de bater o Cruzeiro na decisão.

Poderia ser ainda melhor

Em relação aos outros países, o Paraguai é quem registra melhor aproveitamento (75%), seguido por Equador (50%), Chile (40%) e Colômbia (33%). Já Peru e Uruguai nunca tiveram um time da Pré nas oitavas, embora os uruguaios mereçam um asterisco. O Racing ficou com o segundo lugar do Grupo A em 2010, mas não avançou por critérios técnicos – só 14 clubes passaram às oitavas naquele ano, por conta das vagas diretas dadas a Chivas e San Luis.

Desempenho dos clubes vindos da Pré-Libertadores

Fase de grupos – 20 equipes / 41,6%
Oitavas – 15 equipes / 31,25%
Quartas – 8 equipes / 16,6%
Semifinal – 4 equipes / 8,3%
Campeão – 1 equipe / 2,08%

Desempenho por país

Brasil – 10 classificados / 1 eliminado
Argentina – 4 classificados / 4 eliminados
Paraguai – 3 classificados / 1 eliminado
México – 5 classificados
Uruguai – 2 eliminados
Equador – 2 classificados / 2 eliminados
Colômbia – 2 classificados / 4 eliminados
Peru – 3 eliminados
Chile – 2 classificados / 3 eliminados

Os brasileiros vindos da Pré-Libertadores

2005 – Palmeiras – eliminado nas oitavas pelo São Paulo
2006 – Palmeiras – eliminado nas oitavas pelo São Paulo
2006 – Goiás – eliminado nas oitavas pelo Estudiantes
2007 – Santos – eliminado nas semifinais pelo Grêmio
2007 – Paraná – eliminado nas oitavas pelo Libertad
2008 – Cruzeiro – eliminado nas oitavas pelo Boca Juniors
2009 – Palmeiras – eliminado nas quartas pelo Nacional (URU)
2010 – Cruzeiro – eliminado nas quartas pelo São Paulo
2011 – Grêmio – eliminado nas oitavas pela Universidad Católica
2012 – Flamengo – eliminado na fase de grupos
2012 – Internacional – eliminado pelo Fluminense nas oitavas