Nas próximas três semanas, o Campeonato Brasileiro irá definir oito de seus 12 acessos anuais. A Série C encerrou sua fase classificatória no último sábado, enquanto a Série D já passou pelas oitavas de final. A partir de agora, quem sobreviver aos mata-matas também terá a certeza de que subiu de divisão. Mais importante que chegar às semifinais será mesmo subir um degrau dentro do futebol nacional.

VEJA TAMBÉM: Saiba quem são e o que prometem os políticos boleiros eleitos em 2014

E algumas das oito decisões serão bastante interessantes. Na Série D, Anapolina e Londrina viveram o drama e a goleada para avançar, em um confronto de camisas tradicionais, enquanto Brasil de Pelotas e Brasiliense prometem equilíbrio. Já na Série D, o Tupi tenta manter a excelente campanha contra o Paysandu e o Fortaleza tem sua força regional desafiada pelo “novo-rico” Macaé. Três finais de semana para quem gosta de mata-matas se esbaldar.

Abaixo, confira os confrontos das quartas de final nas duas séries, assim como os principais momentos do futebol brasileiro “além da Série A”, em nossa sessão semanal publicada todas as terças:

Série C
Macaé x Fortaleza (19/10, em RJ, e 25/10, em CE)
Madureira x CRB (19/10, em RJ, e 25/10, em AL)
Paysandu x Tupi (19/10, em PA, e 25/10, em MG)
Mogi Mirim x Salgueiro (19/10, em SP, e 25/10, em PE)

Série D
Anapolina x Londrina (12/10, em RJ, e 19/10, em PR)
Jacuipense x Confiança (12/10, em BA, e 19/10, em SE)
Moto Club x Tombense (12/10, em MA, e 19/10, em MG)
Brasil de Pelotas x Brasiliense (12/10, em RS, e 19/10, em DF)

Desta vez, o STJD não salvou o Treze

O Treze chegou à Série C em 2012 graças ao STJD. Após o Rio Branco ser excluído do torneio por acionar a justiça comum, os paraibanos se viram herdeiros da vaga, por terem ficado com a quinta colocação na Série D do ano anterior.  Gerou um imbróglio imenso, que atrasou a terceirona por um mês e acabou deixando a competição com 21 times. Mas, depois de três anos, o sonho dos alvinegros se encerrou. Em uma temporada na qual teve 101 jogadores e quatro técnicos, o Galo acabou rebaixado, mesmo vencendo o Salgueiro por 3 a 0 na última rodada da fase de classificação.

Águia, o terror da Paraíba

O descenso do Treze foi confirmado por causa da vitória do Águia de Marabá. Que também causou decepção à torcida do Botafogo, rival dos galistas. O time paraense recebeu os paraibanos e conseguiu a vitória por 2 a 1, que o salvou do rebaixamento por um ponto. Já os botafoguenses deixaram escapar a classificação às quartas de final, apenas um ponto atrás da zona de classificação, e a chance de buscar o acesso à Série B.

A guinada do Papão dos últimos instantes

Paysandu

O Paysandu, aliás, conquistou a maior façanha na rodada final da fase de classificação da Série C. O Papão da Curuzu tirou uma diferença de quatro pontos nas últimas duas rodadas para assumir a quarta posição. A tabela, no entanto, ajudou o clube do Pará, que pegou os dois últimos colocados do Grupo A. Depois de bater o Treze, o Paysandu derrotou o CRAC por 3 a 0 fora de casa. Contou também com a colaboração de ASA e Botafogo, que perderam e ficaram pelo caminho. Yago Pikachu, Bruno Veiga e Luciano (contra) anotaram os gols. O CRB foi outro a se garantir apenas na rodada final, ganhando do Cuiabá por 3 a 0 em Alagoas para ficar com a segunda posição. Fortaleza, com o melhor aproveitamento da liga, e Salgueiro completam o grupo.

No Grupo B, 1 a 0 valeu mais do que 5 a 0

Já no Grupo B, três times tinham a vaga na próxima fase garantida: Tupi, Mogi Mirim e Madureira. A briga se concentrava pela quarta colocação, com seis clubes ainda vivos, todos somando entre 22 e 23 pontos. Pesaria o mais eficiente no momento decisivo, algo que coube ao Macaé. Os cariocas venceram o confronto direto com o Caxias por 1 a 0, gol de Lucas. O Guarani, que poderia ultrapassá-los, não foi além do empate com o líder Tupi. Já as goleadas de Guaratinguetá (que enfiou 5 a 0 no Madureira, com três tentos de Ytalo) e do Juventude (4 a 0 no Mogi Mirim) foram inúteis diante do cenário que se desenhou.

Vinte e seis pênaltis e um desmaio na decisão

Nos mata-matas da Série D, não houve mais emoção do que no Acre. Após o empate por 1 a 1 em Goiás, Rio Branco e Anapolina repetiram o resultado na Arena da Floresta. Então, a decisão seguiu para os pênaltis, em que ninguém parecia querer errar. Foram 26 cobranças e apenas um erro, de Renan, que classificou o Anapolina. Durante a série, rolou até mesmo uma cena inusitada: o lateral Bruno Oliveira, que cobraria a quinta penalidade do Rio Branco, desmaiou logo após Sandro Goiano converter o primeiro pênalti. Precisou ser encaminhado a um hospital e passou a noite em observação, com dores na nuca por conta de uma pancada durante o segundo tempo. Seu substituto na série foi justamente Renan, o responsável pelo erro dos acrianos. Já o goleiro Tiago Rocha assumiu a culpa por não ter defendido um pênalti sequer.

Os campeões paulistas ficaram pelo caminho

Outro duelo que seguiu para os pênaltis na Série D foi entre Ituano e Moto Clube. O campeão paulista de 2014 vencera o jogo por 1 a 0 em casa, mas acabou tomando o troco na viagem a São Luis. Após o placar simples dos rubronegros no tempo normal, o goleiro Ruan partiu para ser o herói da noite. O camisa 1 defendeu três chutes dos visitantes e o Moto conseguiu assegurar o triunfo por 3 a 1, concluindo a série com Diego Renan.

Não foi o Brasil que goleou o Operário, mas o vento

slide_03

Depois de não sair do 0 a 0 em Mato Grosso, o Operário foi presa fácil na visita ao Brasil de Pelotas. Tomou uma lavada por 4 a 0, mais do que suficiente para classificar o Xavante às quartas de final. E apesar da superioridade óbvia dos gaúchos, com todos os gols marcados ainda no primeiro tempo, o técnico do Operário botou a culpa no vento forte que batia no Bento de Freitas. “Viemos para jogar de igual pra igual, mas o vento atrapalhou. Ele foi muito forte e eles jogaram com esse fator a favor para conseguir os gols”, declarou Éder Grilo.

O Tubarão abocanhou o Peixe da Amazônia

A maior goleada da Série D, entretanto, não foi protagonizada pelo Brasil. Os méritos foram do Londrina, que vive excelente ano. O time paranaense já tinha adiantado o serviço na visita ao Santos, vencendo por 1 a 0 no Amapá. Já no Estádio do Café, o Tubarão massacrou os visitantes por 5 a 0. Com apenas 50 segundos de jogo, os paranaenses abriram a contagem. O show ficou por conta Bruno Batata e Anderson, responsáveis por três e dois gols, respectivamente. Já do outro lado, o destaque foi o goleiro Diego, que evitou uma sacolada ainda pior aos santistas.

Decepção no Pará

O principal clube a cair nas oitavas de final da Série D foi o Remo. Os azulinos amargarão mais um ano na quarta divisão ao serem incapazes de superar o Brasiliense, de boa campanha na competição. O Jacaré já tinha feito o serviço na visita ao Mangueirão, ganhando dos paraenses por 2 a 1. Já em Brasília, apesar da pressão dos remistas, o Brasiliense conseguiu abrir o placar e segurou o empate por 1 a 1. Com três meses pela frente, o Remo não tem mais jogos pela frente em 2014 e já começa a se planejar para o próximo ano.

Rodada boa para o Ceará na Série B

O Ceará abriu a rodada da segunda divisão ainda na terça-feira passada. O Vozão goleou o Vila Nova por 5 a 1, com dois gols de Magno Alves, e assistiu de camarote aos tropeços de seus rivais pelo G-4. Ponte Preta e Vasco só empataram, enquanto Avaí e Joinville perderam. Com os resultados, os cearenses ficaram a apenas um ponto de entrarem na zona de acesso à Série A, com o Joinville acumulando três rodadas sem vencer.

O milagre do Vasco em São Januário

Vasco

E a alegria do Ceará poderia ser ainda maior, não fosse a reação espetacular do Vasco contra o Bragantino. Os cruzmaltinos perdiam por dois gols de diferença até os 47 minutos do segundo tempo, mas conseguiram arrancar o inimaginável empate por 2 a 2. O uruguaio Maxi Rodríguez saiu do banco do banco para acender o time: foram dele as assistências para os tentos de Lucas Crispim e Lucas Silva, que saiu apenas aos 49. Com o ponto conquistado, o Vasco segue na terceira colocação, a dois pontos da líder Ponte Preta.