O imbróglio que envolve a Globo e o Palmeiras impede que os jogos do clube sejam transmitidos na televisão. E é uma pena que os registros sejam mínimos sobre a atuação de Bruno Henrique no Mineirão, neste domingo. Referência neste ciclo vitorioso dos alviverdes, o capitão teve uma de suas partidas mais brilhantes. Anotou dois gols, inclusive uma pintura de fora da área, no ângulo de Victor. Definiu a vitória por 2 a 0 sobre o Atlético Mineiro, que garantiu a liderança do Brasileirão aos palestrinos. Porém, raras foram as testemunhas oculares e poucos são aqueles que realmente poderão avaliar o tamanho da exibição do meio-campista.

O primeiro gol de Bruno Henrique aconteceu aos 43 minutos. Já um candidato a figurar entre os mais bonitos do campeonato. O meio-campista recebeu de Raphael Veiga e resolveu arriscar do meio da rua. Acertou um petardo na gaveta, sem qualquer chances de defesa para Victor. Já no segundo tempo, o Palmeiras ampliou a diferença. Outra vez contou com o poder de decisão do capitão. Aos sete minutos, ele recebeu o passe de Dudu e bateu com estilo da entrada da área, tirando a bola do alcance do goleiro. Tarde de gala ao volante, com sua conhecida capacidade na finalização.

Somando dez pontos, o Palmeiras assume a primeira colocação e divide o topo da tabela com o Santos, após o passeio do Peixe contra o Vasco. Mais importante é o que fica à história: os palestrinos também registram sua maior invencibilidade pelo Brasileirão. O triunfo sobre o Galo elevou a 27 o número de partidas sem perder no campeonato. Assim, os alviverdes superaram a marca estabelecida pela segunda Academia, bicampeã brasileira no início dos anos 1970 – que ficou 26 duelos sem perder entre o título de 1972 e o início da campanha em 1973. Esta também é a terceira maior marca da história da competição, mas ainda distante dos 35 jogos do Santa Cruz (entre 1977 e 1978) e dos 42 do Botafogo (também entre 1977 e 1978). Uma façanha que os palmeirenses tentarão escrever por mais tempo.