Portugal

O belo gol de falta de Lindelöf resgatou o Benfica após falha de Ederson no clássico

Lisboa parou neste sábado. O Estádio José Alvalade recebeu o 300° clássico da história entre Sporting e Benfica. E prevaleceu a igualdade. Os encarnados tomaram um golpe e tanto logo nos primeiros minutos, em erro do goleiro Ederson que permitiu a vantagem dos sportinguistas. Entretanto, buscaram o empate por 1 a 1 no segundo tempo, graças à maestria de Victor Lindelöf. Não é o melhor resultado possível para os benfiquistas, mas ao menos garante a liderança do Campeonato Português a quatro rodadas do fim, mesmo se o Porto vencer neste domingo.

A bobeira de Ederson aconteceu aos cinco minutos. Reconhecido por seu bom trabalho com os pés, o goleiro trocava passes com os companheiros, mas adiantou demais uma bola e permitiu que Bas Dost a roubasse. Precisou derrubar o artilheiro adversário, concedendo o pênalti. Na cobrança, não evitou que Adrien Silva abrisse o placar para o Sporting. Com a posse de bola, o Benfica passou a arrematar mais no fim do primeiro tempo, mas sem tanto perigo. Os sportinguistas mantinham a segurança.

O jogo se abriu um pouco mais no segundo tempo, com Bas Dost assustando. Do outro lado, o Benfica respondeu com a entrada de Raúl Jiménez. E o gol de empate saiu aos 21 minutos, em ótima cobrança de falta de Lindelöf, vencendo Rui Patrício. Já ao final, prevaleceu a tensão, com a batalha no meio de campo entre os dois times, por mais que o Sporting tivesse um pouco mais de iniciativa. Esta é a quinta temporada consecutiva em que os encarnados pontuam no Alvalade.

Com o empate, o Benfica mantém a vantagem de quatro pontos, restando mais quatro partidas para o final da competição. O Porto poderá diminuir a diferença se vencer o Feirense neste domingo, mas precisará se virar com as próprias pernas no final. Já o Sporting, em terceiro, desperdiçou a chance de reação, oito pontos atrás dos líderes. Agora, é ver quem tropeça menos, considerando que tanto benfiquistas quanto portistas vêm desperdiçando pontos contra equipes menores nas últimas semanas. Ao menos no clássico, o time de Rui Vitória evitou o prejuízo.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo