ColunasPortugal

Menos times, mais dinheiro: a reformulação da segundona portuguesa

A segunda divisão do futebol português não é, convenhamos, dos campeonatos mais atraentes. Mas pode tornar-se, em pouco tempo, ao menos uma competição bem melhor do que a atual. Uma das medidas para tanto já foi tomada antes mesmo de a bola rolar na atual temporada. Os clubes e a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) decidiram que a competição, que conta atualmente com 24 equipes, terá seu número reduzido para 22 participantes a partir de 2016/17. Isso significa que cinco clubes serão rebaixados ao Campeonato Nacional de Seniores, espécie de terceira divisão.

VEJA TAMBÉM: Se existe perfeição em um golaço, esta pintura na segundona portuguesa alcançou esse status

A redução no número de competidores tende a elevar o nível técnico do campeonato. E é possível que uma norma semelhante seja adotada antes da temporada seguinte, diminuindo ainda mais os participantes. A LPFP já sinalizou que pretende reformular o campeonato. A ideia é que a segundona seja “mais atrativa para os torcedores, a mídia e os eventuais patrocinadores”, como afirmou em nota divulgada pela entidade. Entre as propostas, segundo a LPFP, estão a “aposta no jovem jogador português e o aproveitamento da Segunda Liga como rampa de lançamento para talentos”.

Mas é claro que, sem dinheiro, os planos ficariam mais difíceis de serem executados. Por isso, a notícia divulgada nesta semana de que os times da segunda divisão acertaram um bom contrato de transmissão dos jogos pela TV foi muito bem-vinda. Pelo acordo, feito com a operadora MEO e válido por três anos, cada clube vai receber € 500 mil por ano, a partir da próxima temporada. Quem conseguir o acesso à primeira divisão ainda garante um bônus de € 3,5 milhões. E se, eventualmente, a MEO conseguir negociar a exibição das partidas no mercado chinês, os valores ganhariam reajuste de 30%.

Na carona das boas notícias, a LPFP anunciou estar disposta a ajudar financeiramente os clubes da Segunda Liga que estiverem endividados. Quem fizer o pedido formal até o final do mês receberá € 50 mil da entidade. O valor será descontado dos prêmios pela participação na Taça da Liga e dos recebimentos da loteria Placard.

Ainda é cedo para se ter uma noção do alcance destas medidas. De qualquer maneira, é bastante válido que Portugal tente dar mais valor à sua segunda divisão. Afinal, quanto mais forte forem os campeonatos internos, melhor para o futebol do país.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Bloqueador detectado

A Trivela é um site independente e que precisa das receitas dos anúncios. Considere nos apoiar em https://apoia.se/trivela para ser um dos financiadores e considere desligar o seu bloqueador. Agradecemos a compreensão.