Champions LeaguePortugal

Luz amarela acesa

O Porto vinha fazendo uma temporada perfeita. Único time europeu invicto entre todos os que disputam competições da Uefa, líder do Campeonato Português e classificado antecipadamente para as oitavas de final da Liga dos Campeões. Mas, em menos de uma semana, o que era só felicidade virou preocupação.

Primeiro, veio a derrota para o Braga por 2 a 1. Embora os Dragões tenham jogado com um time misto – já que Vítor Pereira poupou os titulares para o duelo contra o PSG, pela Liga dos Campeões – o resultado negativo significou a eliminação na Taça de Portugal e a perda da invencibilidade que vinha desde o início da temporada.

Tais problemas seriam apagados se o Porto conseguisse ao menos um empate na França e terminasse a fase de grupos da Champions em primeiro lugar de sua chave. Mas a equipe perdeu novamente, agora com os titulares: 2 a 1, com direito a falha do goleiro Helton, e a temida vice-liderança do grupo virou realidade.

O Porto não era derrotado duas vezes seguidas em competições oficiais há mais de três anos. Em setembro de 2009, curiosamente também perdeu um jogo pela Liga dos Campeões (1 a 0 contra o Chelsea) e outro para o Braga (também 1 a 0, pelo campeonato nacional), ambos fora de casa, assim como ocorreu desta vez.

A luz amarela se acendeu no Dragão, mas está longe de significar uma crise. Até porque o próximo adversário portista é o fraco Moreirense, vice-lanterna do Campeonato Português. Uma partida ideal para o time vencer bem e readquirir a confiança, ainda mais numa rodada em que os holofotes estarão mais voltados ao clássico Sporting x Benfica.

De qualquer forma, saber que Bayern Munique, Barcelona ou Manchester United podem estar no caminho nas oitavas de final da Liga dos Campeões preocupa os azuis e brancos (Schalke 04, Málaga, Borussia Dortmund e Juventus são os outros possíveis adversários). Se a fase atual não é motivo para crise, convém pelo menos abrir bem os olhos e ver que nem sempre números tão favoráveis significam vitórias e conquistas.

Castigo: Liga Europa

Para o Benfica, a vaga obtida na Liga Europa é mais um castigo do que propriamente um prêmio pela terceira colocação em seu grupo na Liga dos Campeões. No jogo que ficou marcado pela contusão de Messi, os encarnados desperdiçaram chances demais, não saíram do 0 a 0 com o Barcelona e viram o Celtic avançar na segunda posição da chave.

A desclassificação do Benfica, porém, não foi motivada somente pelo empate no Camp Nou (aliás, se serve de consolo, foi a primeira vez em 30 jogos que o Barcelona não marcou um gol). O planejamento para a temporada das Águias sofreu turbulências e o time de Jorge Jesus, apesar de invicto no campeonato nacional, passa a impressão de precisar de algo a mais.

A falta de um lateral-esquerdo de origem (Melgarejo segue titular da posição, numa eterna improvisação) e a trapalhada de Luisão (que agrediu um árbitro na pré-temporada, ficou dois meses suspenso, mas não levou nenhum puxão de orelha público do clube) são alguns exemplos.

As coisas podem ficar piores ou melhores na Luz a partir de segunda-feira, quando o time disputa o clássico contra o Sporting, fora de casa. Se ganhar, afunda o rival e ganha ânimo até para entrar de cabeça na Liga Europa e fazer, do castigo, uma recompensa. Mas, se perder, o Benfica dará sobrevida ao adversário e ganhará uma grande crise para contornar.

Torcida exagerou

Não foi desta vez que o Braga conseguiu superar sua melhor participação na Liga dos Campeões. Como em 2011/12, o time ficou na fase de grupos. Mas, apesar da campanha ruim (cinco derrotas e uma vitória), que não valeu aos bracarenses nem mesmo o direito de passar pela Liga Europa, a torcida exagerou ao acenar lenços brancos e ofender o técnico José Peseiro na partida de despedida da Champions – derrota por 2 a 1 de virada para o Galatasaray, em casa.

A insatisfação vinda das arquibancadas até se explica pelo fato de que, dos cinco reveses do Braga na LC, três aconteceram depois que o time havia saído na frente. Faltou maturidade, experiência e calma de comissão técnica e jogadores para segurar resultados e conseguir coisa melhor num grupo que não era dos mais difíceis.

Por outro lado, há de se lembrar que os arsenalistas vêm fazendo campanhas sólidas em outros campeonatos. O time segue firme na terceira colocação do Português (com a derrocada do Sporting, inclusive, vê poucas ameaças de perder o posto) e na semana passada conseguiu acabar com a invencibilidade do Porto e eliminar o rival da Taça de Portugal.

Peseiro, que antes do jogo da Liga dos Campeões havia recebido apoio do presidente Antonio Salvador, merece também um voto de confiança dos torcedores.

CURTAS

– O jogo da solidariedade entre Sporting e Seleção do Algarve (vencido pelos Leões por 3 a 1) arrecadou € 37,5 mil euros. O dinheiro será doado para a reconstrução dos espaços esportivos danificados por um tornado que atingiu as regiões e Lagoa e Silves em novembro.

– Os Leões estariam interessados em Marcelo Díaz, ex-Universidad do Chile e atualmente no Basel, da Suíça.

– Presidente do Porto há mais de 30 anos, Pinto da Costa surpreendeu nesta semana ao afirmar que não pretende concorrer a mais uma reeleição. No clube, claro, há quem duvide disso.

– O atacante portista Jackson Martinez foi eleito o melhor jogador de outubro/novembro do Campeonato Português, em eleição feita junto aos treinadores, Sindicato dos Jogadores Profissionais e usuários do site da Liga.

– Pela Segunda Liga, o Belenenses ultrapassou o Sporting B e alcançou a liderança, embora com um jogo a mais. O Benfiica B é o terceiro colocado.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo