Portugal

Benfica ‘devolve’ estátua de Eusébio à torcida e acerta no tamanho das homenagens

Talvez o maior desafio para se homenagear um grande ídolo seja dar a dimensão exata do que ele representa. Exagerar na dose pode transformar uma intenção nobre em piegas, enquanto minimizar as honrarias pode resultar em críticas por não dar ao homenageado a importância que ele realmente tem.

Por isso, as ações efetuadas pelo Benfica desde a morte de Eusébio, em 5 de janeiro do ano passado, são dignas de elogios. Ao mesmo tempo em que não o elevou à categoria de deus, o clube realizou uma série de homenagens que, somadas, conseguem traduzir exatamente o que o Pantera Negra representou.

Foram diversas as homenagens prestadas pelo clube encarnado ao craque português e à sua família. Numa delas, o time jogou com a tarja negra em todas as camisas durante um ano, lembrando o luto oficial que durou 365 dias. Em outra, conseguiu autorização do governo municipal de Lisboa para batizar de Eusébio da Silva Ferreira uma das avenidas que dão acesso ao estádio da Luz.

Mas o ato que mais representa o tamanho de Eusébio para o futebol lusitano partiu dos torcedores – e foi abraçado pelo Benfica. Assim que a morte de Eusébio foi anunciada, as pessoas começaram uma espécie de peregrinação voluntária até a estátua do ex-jogador, que fica em frente ao estádio. Nela, foram depositados cerca de 3 mil cachecóis, além de bandeiras e diversos outros objetos. Até mesmo torcedores rivais prestaram suas homenagens, mas o material de outros clubes precisou ser retirado pelo Benfica por causa de encarnados mais exaltados.

Ao ver no que o monumento tinha se transformado, o Benfica resolveu construir uma estrutura metálica, fechada em vidro, para proteger tudo aquilo das ações do tempo. Era uma espécie de invólucro, que “lacrou” a estátua e todo o seu entorno cheio de homenagens – como se o tempo tivesse parado naquele início de janeiro.

Agora, um ano depois, o clube optou por retirar a estrutura e, como anunciou em seu site oficial, “devolver a estátua aos torcedores”. Foi necessário um dia inteiro de trabalho para que os funcionários do Centro de Reserva, Conservação e Restauro do Benfica retirassem cuidadosamente todas as peças e um guindaste fizesse o içamento da estrutura. A TV do clube produziu uma matéria mostrando o processo:

Todo o material retirado será classificado e guardado no museu do clube (onde já estão as peças alusivas a outro times, retiradas para evitar vandalismo). E a estátua, que tem até página no Facebook, voltou a seu estado original.

Vale lembra que Eusébio deverá, em breve, ser o primeiro negro a ter os restos mortais enterrados no Panteão de Portugal, lugar onde estão grandes figuras da história portuguesa, como Pedro Álvares Cabral, por exemplo. O traslado do corpo ainda precisa ser aprovado, mas há consenso sobre o assunto entre a maioria dos deputados portugueses.

As homenagens ao Pantera Negra nunca acabarão, mas certamente serão mais espaçadas a partir de agora. E quem for ao estádio da Luz poderá, novamente, ficar “mais perto” do craque, representado numa estátua que tornou-se símbolo da grandeza de Eusébio.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo