Portugal

Balanço do Campeonato Português: Porto decepcionante e Sporting coadjuvante

Nesta segunda parte do balanço do Campeonato Português 2014/15, o destaque fica para a dupla Porto e Sporting. Os dragões passaram a temporada flertando com o protagonismo, mas acabaram mesmo como coadjuvantes. Já os leões voltaram a comemorar um título, ainda que numa taça domésticas (a Taça de Portugal) e, para variar, sofreram com problemas internos. Destaques também para a boa campanha do Moreirense e para o rebaixado Penafiel, que fez um campeonato para lá de horrível.

VEJA A PRIMEIRA PARTE DO BALANÇO

MOREIRENSE

Colocação final: 11º lugar, com 43 pontos (11v, 10e, 13d; 33gp, 42gc)

Treinador: Miguel Leal

Maior vitória: 3×1 Vitória de Setúbal (em casa), 10/05/2015

Maior derrota: 1×4 Sporting (em casa), 27/04/2015

Artilheiro: André Simões, com 6 gols

Competições domésticas: Taça de Portugal (eliminado na 4ª eliminatória), Taça da Liga (eliminado na 3ª fase)

Competições europeias: não disputou

Para quem tinha retornado à primeira divisão após 10 anos, o 11º lugar é motivo de comemoração. A campanha do Moreirense começou ruim, com apenas uma vitória nos primeiros sete jogos. Mas engrenou depois do triunfo sobre o Gil Vicente na oitava rodada. Na época, o jogo parecia um confronto direto na briga contra o rebaixamento, mas o passar do tempo deixou claro que não era bem assim. Afinal, a equipe do técnico Miguel Leal (que nunca tinha dirigido um time na Primeira Liga) praticamente não correu perigo ao longo da competição. Tanto que quase ficou na metade de cima da tabela – fez apenas um ponto a menos que o Marítimo, nono colocado. Destaque para o zagueiro brasileiro Danielson, o único jogador de linha a atuar em todas as 34 partidas do seu time no Campeonato Português.

NACIONAL

Colocação final: 7º lugar, com 47 pontos (13v, 8e, 13d; 45gp, 46gc)

Treinador: Manuel Machado

Maior vitória: 3×0 Marítimo (em casa), 08/12/2014; 3×0 Vitória de Setúbal (em casa), 01/03/2015; 3×0 Paços de Ferreira (em casa), 23/05/2015

Maior derrota: 0x4 Vitória de Guimarães (fora), 04/01/2015

Artilheiro: Marco Matias, com 17 gols

Competições domésticas: Taça de Portugal (eliminado na semifinal), Taça da Liga (eliminado na 3ª fase)

Competições europeias: Liga Europa (eliminado nos playoffs)

Foi por apenas um pontinho que o Nacional não se classificou para a Liga Europa da próxima temporada. Ainda assim, a campanha feita no Campeonato Português é digna de reconhecimento. Depois de um início irregular, os alvinegros conseguiram uma sequência de cinco vitórias em seis jogos na metade da competição, o que deu gás para brigar até o fim por uma vaga no G6. O segundo turno do Nacional foi muito bom, com apenas quatro derrotas. O que pesou negativamente foi o mau desempenho fora de casa: das 13 vitórias conquistadas na competição, apenas três foram longe do seu estádio. O destaque ficou para Marco Matias, quarto principal artilheiro do campeonato e autor de 37% dos gols do time.

PAÇOS DE FERREIRA

Colocação final: 8º lugar, com 47 pontos (12v, 11e, 11d; 40gp, 45gc)

Treinador: Paulo Fonseca

Maior vitória: 4×1 Vitória de Setúbal (em casa), 02/11/2014

Maior derrota: 0x5 Porto (fora), 01/02/2015

Artilheiro: Bruno Moreira, com 10 gols

Competições domésticas: Taça de Portugal (eliminado nas oitavas de final), Taça da Liga (eliminado na 2ª fase)

Competições europeias: não disputou

Nenhum outro time do Campeonato Português teve um equilíbrio tão grande em seus números de vitórias, empates e derrotas. Com 12 triunfos, 11 igualdades e 11 reveses, o Paços de Ferreira fez, evidentemente, uma campanha equilibrada e que passou longe do susto da temporada passada, em que o rebaixamento só foi evitado no playoff final. O saldo final acabou sendo positivo, principalmente se for levada em consideração a reconstrução da equipe após a quase tragédia de 2013/14. Os nove jogos sem perder logo no início da competição deram uma gordura para os castores e para o técnico Paulo Fonseca, que retornou à sua velha casa após fracassar no Porto. Na próxima temporada, ele deverá dirigir o Braga.

PENAFIEL

Colocação final: 18º lugar (rebaixado), com 22 pontos (5v, 7e, 22d; 29gp, 69gc)

Treinador: Carlos Brito (antes, Ricardo Chéu até a 4ª rodada e Rui Quinta, da 5ª até a 25ª rodada)

Maior vitória: 2×0 Vitória de Setúbal (em casa), 20/09/2014

Maior derrota: 1×6 Braga (em casa), 29/11/2014

Artilheiro: Guedes, com 8 gols

Competições domésticas: Taça de Portugal (eliminado nas oitavas de final), Taça da Liga (eliminado na 2ª fase)

Competições europeias: não disputou

O Penafiel da temporada 2014/15 foi o típico caso de um clube que sobe de divisão e não consegue se estruturar o suficiente para fazer campanha digna e, ao menos, brigar para não cair novamente. Com três técnicos no decorrer do campeonato, a pior defesa e o status de time que mais vezes foi derrotado (além de ser o que mais teve jogadores expulsos), o rubro-negro mereceu voltar para a Segunda Liga e mostrou que a disparidade técnica em Portugal entre clubes grandes, médios e pequenos ainda é gigantesca.

PORTO 
Quaresma, do Porto (Foto: AP)
Quaresma, do Porto (Foto: AP)

Colocação final: vice-campeão, com 82 pontos (25v, 7e, 2d; 74gp, 13gc)

Treinador: Julen Lopetegui

Maior vitória: 5×0 Arouca (fora), 25/10/2014; 5×0 Rio Ave (em casa), 30/11/2014; 5×0 Paços de Ferreira (em casa), 01/02/2015; 5×0 Estoril (em casa), 06/04/2015

Maior derrota: 0x2 Benfica (em casa), 14/12/2014

Artilheiro: Jackson Martínez, com 21 gols

Competições domésticas: Taça de Portugal (eliminado na terceira eliminatória), Taça da Liga (eliminado na semifinal)

Competições europeias: Liga dos Campeões (eliminado nas quartas de final)

Os três pontos que separaram o Porto do campeão Benfica podem levar a crer que os dragões brigaram até o fim pelo título português. Mas não foi bem isso o que aconteceu. Embora matematicamente houvesse chance de conquista até a penúltima rodada, o futebol apresentado dentro de campo deixava bem claro que seria difícil o Porto almejar o primeiro lugar. Com o técnico Julen Lopetegui preocupado em arrumar confusões e um currículo de duras derrotas (como a eliminação precoce na Taça de Portugal, perante o Sporting e os 6 a 1 do Bayern Munique na Liga dos Campeões, após ter ganho por 3 a 1 em casa), a temporada do Porto foi sendo minada. De nada adiantou ter o artilheiro do campeonato nacional (o colombiano Jackson Martínez, com 21 gols) ou ser o time de melhor defesa e o que menos perdeu. Em 2014/15, o Porto passou de protagonista a espectador no futebol português.

RIO AVE 

Colocação final: 10º lugar, com 43 pontos (10v, 13e, 11d; 38gp, 42gc)

Treinador: Pedro Martins

Maior vitória: 5×1 Estoril (fora), 24/08/2014

Maior derrota: 0x5 Porto (fora), 30/11/2014

Artilheiro: Ahmed Hassan, com 12 gols

Competições domésticas: Taça de Portugal (eliminado na semifinal), Taça da Liga (eliminado na terceira fase)

Competições europeias: Liga Europa (eliminado na fase de grupos)

O Rio Ave vem se especializando em bater na trave nas competições domésticas. Depois de ser vice-campeão da Taça de Portugal e da Taça da Liga na temporada passada, o time chegou à semifinal da Taça de Portugal deste ano – mesmo feito que havia conseguido na Taça da Liga em 2012/13. Se o título nas competições intermediárias não vem, pelo menos a equipe segue sem sustos sua trajetória na primeira divisão. Assim como aconteceu no último campeonato, os vilacondenses ficaram na posição intermediária da tabela de classificação. A primeira temporada do técnico Pedro Martins no cargo poderia ter sido um pouco melhor não fosse o excessivo número de empates: 13, o segundo maior índice do Campeonato Português.

SPORTING

Colocação final: 3º lugar, com 76 pontos (22v, 10e, 2d; 67gp, 29gc)

Treinador: Marco Silva

Maior vitória: 4×0 Gil Vicente (fora), 21/09/2014; 4×0 Penafiel (fora), 04/10/2014

Maior derrota: 0x3 Vitória de Guimarães (fora), 01/11/2014; 0x3 Porto (fora), 01/03/2015

Artilheiro: Slimani, com 11 gols

Competições domésticas: Taça de Portugal (campeão), Taça da Liga (eliminado na terceira fase)

Competições europeias: Liga Europa (eliminado no 16 avos de final)

O protagonismo do Sporting na temporada teve seu auge depois que a bola parou de rolar. Numa negociação surpreendente, o clube contratou o técnico Jorge Jesus, atual bicampeão português pelo Benfica. O improvável negócio tomou conta do noticiário e, de certa forma, até ofuscou o brilho obtido dias antes com a conquista emocionante da Taça de Portugal, na vitória sobre o Braga na decisão por pênaltis. Foi também o último jogo da conturbada passagem do técnico Marco Silva, que teve diversos problemas com o temperamental presidente Bruno de Carvalho e deixou o clube de maneira litigiosa. No campeonato nacional, os leões fizeram campanha apenas regular. Mesmo perdendo apenas duas vezes, o time ficou nove pontos atrás do campeão Benfica – muito em função do alto número de 10 empates.

VITÓRIA DE GUIMARÃES

Colocação final: 5º lugar, com 55 pontos (15v, 10e, 9d; 50gp, 35gc)

Treinador: Rui Vitória

Maior vitória: 4×0 Nacional (em casa), 04/01/2015; 4×0 Acadêmica (em casa), 17/01/2015

Maior derrota: 0x4 Marítimo (fora), 28/09/2014

Artilheiro: André André, com 11 gols

Competições domésticas: Taça de Portugal (eliminado na quarta eliminatória), Taça da Liga (eliminado na terceira fase)

Competições europeias: não disputou

A temporada foi bem melhor do que o torcedor do Vitória de Guimarães poderia imaginar. Depois de um pífio 10º lugar no campeonato passado e com um time limitado, a expectativa era de que os vimaranenses novamente ocupassem posições intermediárias na tabela de classificação. Mas, ao invés disso, a equipe engrenou e conquistou um importante quinto lugar. O bom trabalho rendeu frutos ao técnico Rui Vitória, que após quatro temporadas em Guimarães foi contratado para substituir Jorge Jesus no Benfica. A campanha do Vitória ainda teve uma curiosidade: artilheiro da equipe no Campeonato Português, o meio-campista André André marcou oito de seus 11 gols em cobranças de pênaltis.

VITÓRIA DE SETÚBAL

Colocação final: 14º lugar, com 29 pontos (7v, 8e, 19d; 24gp, 56gc)

Treinador: Bruno Ribeiro (antes, Domingos Paciência até a 17ª rodada)

Maior vitória: 4×1 Rio Ave (em casa), 25/01/2015

Maior derrota: 0x5 Benfica (em casa), 12/09/2014; 0x5 Braga (fora), 23/5/2015

Artilheiro: João Schmidt, com 6 gols

Competições domésticas: Taça de Portugal (eliminado na quarta eliminatória), Taça da Liga (eliminado na semifinal)

Competições europeias: não disputou

O Vitória de Setúbal é mais um caso clássico de time que só não foi rebaixado graças ao baixo nível técnico, na média, do Campeonato Português. Mesmo fazendo uma campanha bastante ruim, a equipe conseguiu ficar à frente de quatro adversários e escapar com relativa tranquilidade. Algo muito diferente do que ocorreu na temporada passada, quando os sadinos sonharam com a Liga Europa. Desta vez, o time só não teve pior defesa que os rebaixados e conseguiu a façanha de vencer apenas um jogo fora de casa.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo