Só deu Porto contra o Málaga, no Estádio do Dragão. Dominando sem dificuldade, os Dragões apertaram os Boquerones em seu campo, apesar do fato dos espanhóis terem ido até a cidade portuguesa para se resguardar na defesa. A postura ficou clara nos quinze minutos iniciais, quando os visitantes abdicavam de passes e lançamentos longos para se segurar lá atrás.

Jackson Martínez e Varela infernizaram a defensiva albiceleste, que até deu espaço em campo, concedendo tempo para finalizações. Nada dava certo, mesmo com a intensa pressão portista. Bons passes, tabelas e infiltrações pela lateral deram o tom no estilo de jogo dos donos da casa. Foi uma batalha sobretudo estratégica, em que os adversários precisavam avançar com cautela. Evidentemente, o Porto estava mais disposto a construir uma vantagem, pelo fato de jogar diante de sua torcida.

A equipe de Manuel Pellegrini esperava por uma chance nítida para mostrar suas garras, mas o Porto afastou todas no primeiro tempo. Contra a retranca do Málaga, Martínez ficou muito preso à marcação. Sempre acompanhado por Demichelis, o colombiano foi neutralizado. Porém, o que Pellegrini não esperava era uma participação incisiva de João Moutinho.

Numa jogada em que a retaguarda visitante esteve exposta, Moutinho apareceu no meio da área para receber um passe primoroso de Alex Sandro. A bola passou pelas costas dos marcadores e encontrou Moutinho para abrir o placar. Daí em diante ficou fácil para a formação de Vítor Pereira administrar o resultado. Desinteressado em uma reação e em sair de Portugal com um agregado mais desfavorável, o Málaga foi sacando seus homens de criação para fechar o espaço entre o meio campo e a cabeça de área.

Amarrado, o confronto seguiu com o placar no 1 a 0 até o fim. Vale ressaltar que teremos um duelo interessante em La Rosaleda no dia 13 de março. E esperar que o medo de perder não sobreponha a vontade de ganhar. Por hoje vimos muita retranca do lado espanhol e pouca inspiração dos homens de frente pelos portugueses. Na segunda partida, o panorama do embate deverá ser outro, com o Málaga precisando sair para tentar a vitória. E aí veremos como a defesa do Porto irá se comportar sob pressão.

Alguns dados interessantes dão conta da posse e das finalizações de cada time: 62% de domínio do Porto, contra 32% de ferrolho do Málaga; e 17 arremates dos mandantes contra apenas um dos visitantes.

Formações iniciais

football formations

Destaque do jogo

João Moutinho, que além do gol, organizou bem a situação no meio do Porto. Esteve muito bem, ao lado de Lucho González e Marat Izmailov. Os três poderiam ser considerados fundamentais, mas como quem fez o gol foi Moutinho, levará os louros desta vez.

Momento-chave

O meio campo do Porto foi essencial para a construção desta vitória. Num lance que parecia levar pouco perigo, Alex Sandro veio da esquerda e lançou uma bola nas costas da defesa do Málaga. Ninguém deu o bote e João Moutinho recebeu no canto da área para tocar rasteiro e vencer Caballero. A partir daí, quase nada aconteceu.

Os gols

10/2T – GOL DO PORTO! João Moutinho não titubeia e aproveita um passe precioso de Alex Sandro, chutando rasteiro.

Ficha técnica

PORTO 1X0 MÁLAGA

Porto Porto

Hélton, Nicolás Otamendi, Eliaquim Mangala, Alex Sandro, Danilo, Fernando, João Moutinho, Lucho González (André Castro, 46/2T), Marat Izmailov (Christian Atsu, 25/2T), Jackson Martínez, Silvestre Varela (James Rodríguez, 13/2T. Técnico: Vítor Pereira

 

Malaga_escudo Málaga

Willy Caballero, Weligton, Martín Demichelis, Sérgio Sánchez, Vitorino Antunes, Manuel Iturra (Ignacio Camacho, 33/2T), Jéremy Toulalan, Joaquín (Francisco Portillo, 18/2T), Isco, Júlio Baptista (Lucas Piazon, 33/2T), Roque Santa Cruz. Técnico: Manuel Pellegrini

Local: Estádio do Dragão, Porto (POR)
Árbitro: Mark Clattenburg (ENG)
Gols: João Moutinho, 10/2T
Cartões amarelos: nenhum
Cartões vermelhos: nenhum