Nos três jogos até aqui na temporada, contando a Supertaça contra o Sporting, o Benfica havia anotado 12 gols sem levar nenhum. O começo voando baixo colocava os Encarnados como plenos favoritos no duelo da terceira rodada do Campeonato Português, contra o Porto, que perdera na estreia contra o Gil Vicente, além de ter sido eliminado nas qualificatórias da Champions League para o russo Kuban Krasnodar. Mas nada disso importou quando a bola rolou. Os Dragões surpreenderam os anfitriões no Estádio da Luz e saíram de Lisboa com a vitória por 2 a 0.

Apesar da maior posse de bola do Benfica, a equipe da casa não conseguia criar grandes chances. A marcação era forte da equipe de Sérgio Conceição, que ainda por cima ia ao ataque, evoluindo o nível de suas chegadas. No meio de campo, os Encarnados perdiam várias bolas, e os Dragões aproveitavam para avançar, com o colombiano Luis Díaz levando perigo e Zé Luís preparando o cenário para abrir o placar, mas não sem antes parar em ótima defesa de Odisseas.

No entanto, não levou muito tempo para o Porto consegui-lo. Aos 21 minutos da primeira etapa, após escanteio cobrado por Alex Telles, Ferro cortou mal, e a bola sobrou limpa para Zé Luís fazer o 1 a 0. O gol foi o quarto do cabo-verdiano, recém-contratado do Spartak Moscou. Na rodada anterior, já havia marcado três gols contra o Vitória de Setúbal.

O baque foi sentido pelo Benfica, que seguiu pressionado pelo rival. O intervalo e a chegada do segundo tempo não alteraram as coisas. Aproveitando bola que sobrou da tentativa de Rúben Dias de afastá-la da defesa, Luis Díaz finalizou bem, com força, mas Odisseas mais uma vez foi bem para evitar o segundo gol.

Zé Luís, aos 13 do segundo tempo, tirou proveito de uma saída do arqueiro benfiquista para afastar a bola e tentou a finalização para o gol sem goleiro, mas havia muitos oponentes ao seu redor e mesmo próximos à meta para evitar a ampliação no placar.

Buscando o empate e desmontado na defesa, o Benfica sofreu contra-ataque que parecia fatal, mas Moussa Marega, cara a cara com Odisseas, desperdiçou a oportunidade, mandando a bola por cima do travessão. Porém, ele não desperdiçaria outra.

Com a defesa alta, o brasileiro Otávio acertou excelente passe em profundidade, Marega ganhou na corrida da marcação e bateu no canto, acertando a trave e vendo a bola morrer na rede lateral oposta. Estava fechada a vitória por 2 a 0, aos 40 do segundo tempo.

Nos acréscimos, Seferovic chegou a diminuir, mas estava em posição de impedimento, e o gol foi corretamente anulado pelo auxiliar.

Mais do que um resultado que dá moral e ajuda a reerguer o Porto em um começo de temporada duro, a vitória sobre o Benfica foi também a primeira derrota imposta ao técnico Bruno Lage no comando dos Encarnados no Portuguesão. O treinador havia vencido 20 e empatado um de seus 21 jogos à frente do Benfica no torneio. A última derrota da equipe na competição havia sido em janeiro, ainda com o ex-técnico Rui Vitória.

Sem escolha, o Porto precisava virar a página. Perdeu uma série de jogadores importantes em Brahimi, Felipe, Héctor Herrera e Óliver Torres. O início de temporada, especialmente pela queda na Champions League antes mesmo da fase de grupos, foi um golpe duro. Mas nada como um triunfo sobre o rival, em um duelo com tantos elementos, para criar condições a uma volta por cima.