A premiação relativa à participação na Copa do Mundo costuma ser assunto recorrente. Natural que, diante de um evento que movimenta tanto dinheiro, os jogadores ganhem sua parcela. Em 2014, há dois episódios emblemáticos quanto à postura dos elencos. Gana realizou um motim pelo atraso nos pagamentos e protagonizou cenas de filme quando um helicóptero pousou na concentração com o dinheiro. Teve até jogador que foi filmado beijando os maços de notas. Já a Grécia preferiu um caminho diferente. Em decisão conjunta, deu a premiação à própria federação, para que fosse construído um centro de treinamentos que melhorasse as condições de trabalho e também desenvolvesse as categorias de base. E, em seu primeiro Mundial, Kylian Mbappé se aproxima desta visão.

A informação é do jornal francês L’Equipe. Em abril, Mbappé se reuniu com os membros da Premiers de Cordée, uma organização francesa que oferece atividades esportivas para crianças hospitalizadas e ações de conscientização sobre deficiência. No encontro, falou sobre sua intenção de distribuir a sua premiação integral que receberá pela participação na Copa do Mundo. Antes da competição, o prodígio ajudou a financiar uma viagem pedagógica à Rússia de 25 estudantes franceses.

Aliás, Mbappé age desta maneira também em outros compromissos com a seleção. Anteriormente, seus advogados se reuniram com a federação francesa e entraram em acordo que cada pagamento pela participação do atacante nos jogos dos Bleus (amistosos ou competitivos) fosse revertido a diferentes instituições de caridade. O jovem ganha €20 mil por partida. Segundo o L’Equipe, ele considera que não é necessário ser pago para atuar pela seleção e que este dinheiro deve ser empregado a causas humanitárias.

Ainda conforme o L’Equipe, a postura de Mbappé pode ser compartilhada por outros jogadores da seleção. Coletivamente, os futebolistas e a comissão técnica prometeram doar parte de seus prêmios aos outros membros da federação. Se chegar às quartas de final, a França deverá receber €15 milhões em premiação. “Quando você joga uma Copa do Mundo, está aqui pelo prazer. É um sonho realizado. Então, não me importo com o dinheiro. Eu não estou jogando o Mundial por isso”, declarou Samuel Umtiti, nesta quinta. Exemplo que vale uma ponta de torcida pelo sucesso dos Bleus.