De vitória em vitória, o Real Madrid volta a se transformar em sombra na disputa pelo título do Campeonato Espanhol. Porém, esta afirmação perde firmeza quando são analisadas as atuações recentes dos merengues – e não estou falando, necessariamente, da derrota ante o CSKA Moscou na Champions. A equipe de Santiago Solari segue devendo na Liga, e muito. Assim como havia acontecido na rodada passada, contra o Huesca, conquistou uma magra vitória por 1 a 0 contra um dos principais candidatos ao rebaixamento. E a exibição pouco convincente diante o Rayo Vallecano, dentro do Santiago Bernabéu, só reafirma o valor da contratação de Thibaut Courtois. Se antes imaginava-se que o goleiro pudesse potencializar a sede por títulos dos madridistas, agora ele se tornou o principal responsável por evitar vexames.

Exceção feita às ausências por lesão, o Real Madrid entrou em campo com o melhor que tinha à disposição – e essa afirmação não inclui Isco, esquentando o banco diante da péssima fase. Contra um adversário frágil como o Rayo Vallecano, os merengues dominaram o primeiro tempo e precisaram de 12 minutos para abrir o placar. Ótimo passe de Lucas Vázquez pela direita, encontrando Karim Benzema na área. O centroavante não perdoou. Na sequência, os anfitriões seguiram criando as melhores chances, senhores de si contra um oponente esburacado. Toni Kroos acertou a trave e o goleiro Stole Dimitrievski também realizou boas defesas. Só que, vez ou outra, os franjirrojos ameaçavam nas bolas aéreas. Um prenúncio.

Se o primeiro tempo do Real Madrid foi satisfatório, o time cairia de produção no segundo. Até ficou às portas de ampliar a diferença, em tento de Sergio Ramos anulado pela arbitragem. Todavia, também permitiu ao Rayo Vallecano assustar bem mais. As melhores oportunidades a partir dos 20 minutos foram dos visitantes, que ganharam vigor a partir das substituições. Os lances de perigo não eram tão frequentes, mas já bastavam para aproximar os franjirrojos do empate. E Courtois, que já havia feito boa intervenção em arremate de Bebé aos 22, virou herói nos acréscimos. Pegou duas bolas em sequência, diante de Álex Alegría e Emiliano Velázquez. Evitou o desastre no Bernabéu, como já tinha feito fora de casa contra o Huesca.

O Real Madrid chega aos 29 pontos. Está a dois do líder Barcelona, que ainda entra em campo na rodada, e a dois do Atlético de Madrid. A diferença tende a aumentar, já que os merengues pausam sua participação na Liga para disputar o Mundial de Clubes. E o torneio internacional terá um papel crucial neste planejamento, já que um fracasso em Abu Dhabi poderia significar uma resposta mais contundente do clube no mercado – talvez, levando inclusive um novo treinador. Os tropeços e as vitórias frágeis aumentam a instabilidade. Vice-lanterna, o Rayo Vallecano está a quatro pontos de deixar a zona de rebaixamento.