A classificação do Ajax é motivo de grande orgulho ao futebol holandês, mas também trouxe os seus problemas para a Eredivisie. A primeira partida contra o Tottenham, na Inglaterra, acontecerá em 30 de abril, uma terça-feira. O compromisso teria impacto direto no calendário dos Godenzonen nas competições nacionais. A princípio, a equipe de Erik ten Hag deveria enfrentar o De Graafschap dois dias antes, em 28 de abril – o que feriria o regulamento de descanso mínimo estabelecido no país. E o imbróglio causado pela façanha continental influenciará todos os times da primeira divisão local. Para auxiliar os Ajacieden, a federação holandesa decidiu adiar toda a penúltima rodada da liga. Ela se transformará na última rodada, marcada agora para 15 de maio.

Não era um problema simples de se resolver. A primeira opção seria inverter o jogo do Ajax na Liga dos Campeões e remarcá-lo para 1° de maio, uma quarta-feira. A Uefa não permitiu essa possibilidade, devido a seus compromissos comerciais e contratos já firmados. Além do mais, não bastava à Eredivisie antecipar a partida contra o De Graafschap para 27 de abril, um sábado. Por questão de isonomia, todos os jogos da penúltima rodada acontecem no mesmo horário. Para não beneficiar um candidato ao título e um clube ameaçado pelo rebaixamento, a federação holandesa preferiu descartar esta hipótese. Assim, para conceder também mais tempo de planejamento aos demais clubes, a rodada inteira termina remarcada para 15 de maio. O acordo pela decisão foi alcançado em reunião realizada com os clubes nesta quinta-feira, antes de ser ratificada pelas prefeituras nas horas seguintes.

Desta maneira, os times holandeses ganham uma folga inesperada. Em compensação, a maratona será maior na reta final da campanha. Aquela que deveria ser a última rodada segue confirmada para 12 de maio, um domingo. Em compensação, a definição não concederá muito tempo de preparação, somente três dias depois. Medida que não agrada a todos, mas mantém a situação equiparável aos times em campo e também a emoção na briga pelo título. Atualmente, Ajax e PSV somam os mesmos 74 pontos, com vantagem aos Godenzonen no saldo de gols.

“Entendemos perfeitamente que esta mudança pode causar problemas aos torcedores. Tentamos evitar o máximo possível. A solução era necessária, mas infelizmente não tínhamos uma opção que não prejudicasse alguém. A federação também agradece aos clubes, às prefeituras e às autoridades. Sem essa ajuda, não seria possível encontrar uma solução tão rápida. Agora que todos conhecem a decisão e os princípios esportivos estão garantidos, esperamos por um belo final de campeonato”, declarou Eric Gudde, diretor de futebol da federação holandesa. Na próxima semana, os dirigentes precisam reformular o calendário dos playoffs de acesso e de classificação às competições continentais, que também acabam influenciados minimamente pela alteração.

Anteriormente, Gudde admitiu que a Eredivisie não previa tamanho sucesso dos holandeses na Champions, por isso não se a federação preocupou com a possível coincidência nas datas: “Quando fizemos o calendário desta temporada, ouvimos o desejo dos clubes. Cancelamos uma rodada de meio de semana, para a chance pequena de um time holandês ir longe na Champions. Aconteceu com o Ajax. Fica duro adiar jogos”.

Os presidentes dos clubes, embora tenham aceitado a solução e parabenizado o Ajax, ainda assim expressaram a insatisfação. A falta de planejamento da liga é um entrave óbvio, assim como os impactos sobre os cronogramas dos elencos e mesmo o ônus ao torcedor. Ao invés de acompanharem a rodada em um final de semana, terão que fazer isso numa noite de quarta. As chances de manifestações contrárias nas arquibancadas também são razoáveis. No fim das contas, resiste a discussão sobre quanto vale tal esforço. O sucesso do Ajax, além de deixar o futebol holandês em evidência, também impacta no ranking do país e auxilia a participação de mais clubes nas competições europeias.