O número de casos de coronavírus aumenta ao redor da Europa e diversos países ligam seus sinais de alerta. O governo italiano foi o primeiro a interferir diretamente em eventos esportivos, e o mesmo deverá acontecer em jogos importantes previstos para os próximos dias na Espanha. Nesta terça-feira, o Ministro da Saúde da Espanha, Salvador Illa, orientou que as partidas envolvendo clubes italianos vindos de regiões de risco sejam disputadas sob portões fechados nos estádios espanhóis. Assim, a medida afetará Valencia x Atalanta pela Champions League, além de Getafe x Internazionale pela Liga Europa.

Os embates reunindo Atalanta e Internazionale são os que mais preocupam as autoridades espanholas, considerando o alto índice de casos do coronavírus na região da Lombardia. Embora seja apenas uma recomendação do Ministério, é bem possível que a organização das partidas acate a ordem. Também ocorrerão visitas de Roma e Napoli a Sevilla e Barcelona, respectivamente. Porém, como as regiões de ambos os visitantes não está em uma situação crítica, a recomendação não deve se aplicar.

“É uma medida congruente com o que ditaram as autoridades competentes naqueles países que têm zonas de risco. Não seria coerente que lá se disputem competições com portões fechados e que a nosso país venham contingentes de torcedores desses lugares”, declarou Salvador Illa, em entrevista à Rádio Marca. Dois jogos de basquete envolvendo times italianos em ginásios espanhóis também não terão público.

Até o momento, a Espanha registrou 150 casos de coronavírus, mas ainda não tomou medidas mais incisivas quanto aos seus eventos esportivos internos. Na França, estão proibidas concentrações com mais de 5 mil pessoas em espaços fechados. Os eventos esportivos serão avaliados caso a caso. Já na Suíça, estão proibidos até 15 de março os atos com mais de mil espectadores. Jogos da primeira e da segunda divisão foram adiados.

Na Itália, segue o impasse sobre a maneira como a Serie A está sendo conduzida. A organização do Campeonato Italiano vem sendo bastante criticada por sua postura, entre adiar alguns jogos e prometer a realização com portões fechados em outros, atravancando o calendário. Nesta terça, a federação italiana abriu uma investigação contra o presidente da Internazionale, Steven Zhang, depois que o dirigente realizou críticas pesadas ao presidente da Serie A, Paolo Dal Pino.

O cartola nerazzurro chamou Dal Pino de “palhaço”, por não se preocupar com o público e com os atletas em suas mudanças de ideia. A Inter defendeu Zhang, garantindo que ele deseja “a máxima proteção da comunidade inteira”. O clássico entre Juventus e Internazionale, decisivo à disputa pelo Scudetto, deveria ter acontecido no último domingo e acabou remarcado de última hora – a princípio, sob pressão da anfitriã Juve, que não queria perder a renda com as bilheterias e nem ser prejudicada sem público. A bronca dos interistas tem toda a sua razão.