Mais uma vez um político francês causa polêmica com frases de cunho racistas sobre a seleção nacional. Georges Frêche, presidente da região de Languedoc-Roussillon e ex-prefeito de Montpellier, disse “sentir-se envergonhado” por olhar para os Bleus “e ver nove negros”.

“Nesta seleção, há nove negros entre os onze. O normal seria ter três ou quatro. Isto seria o reflexo da nossa sociedade. Mas não é assim, porque os brancos são nulos. Sinto vergonha deste país. Daqui a pouco, haverá onze negros. Quando vejo algumas equipes de futebol, sinto pena”, afirmou o membro do Partido Socialista.

“Todo mundo sabe que o técnico escolhe os melhores jogadores para a seleção. Não há cotas. Levamos os melhores e todas as outras hipóteses estão descartadas. Se os melhores atletas medissem menos de 1,50m, chamaríamos onze jogadores com menos de 1,50m”, reagiu Jean Pierre-Escalettes, presidente da federação francesa.

Jean-Marie Le Pen, político ultra-direitista e que chegou ao segundo turno nas últimas eleições presidenciais no país, também criou polêmica com declarações racistas durante a última Copa. Frêche será julgado no próximo dia 30 por ofender os argelinos que lutaram na guerra de independência da França de ‘cornos’ e sub-homens.