À frente de sua torcida, o Tottenham foi destruído pelo Bayern de Munique, na última terça-feira, pelo placar de 7 a 2, na segunda rodada da fase de grupos da Champions League. Os últimos três gols foram marcados depois dos 38 minutos do segundo tempo, com os Spurs já completamente fora do jogo. O treinador Mauricio Pochettino admitiu que seus jogadores “desistiram um pouco” depois do quinto tento e que agora é o momento de se unirem.

Finalista da Champions League, o Tottenham está em um começo de temporada difícil, com apenas três vitórias em dez partidas. Uma delas foi no último sábado, contra o Southampton, quando Serge Aurier foi expulso, aos 31 minutos, e Lloris cometeu uma falha feia pouco depois, permitindo que o adversário empatasse o jogo. Mesmo assim, os Spurs conseguiram arrancar a vitória, no que poderia ser um divisor de águas na má fase.

No entanto, se isso é verdade, foi para pior. “A sensação no fim quando concedemos três gols foi como se o time estivesse cansado e desistido um pouco. Talvez isso mostrou um pouco de frustração com o jogo porque, até os 37 minutos do segundo tempo, estávamos vivos, lutando, tentando criar chances para marcar”, disse Pochettino.

O Tottenham saiu na frente do Bayern de Munique, mas levou a virada antes do intervalo. Aos 10 minutos do segundo tempo, Serge Gnabry, ex-Arsenal, havia feito dois dos seus quatro gols e ampliado a vantagem bávara. “Tivemos que assumir um risco depois de sofrer dois gols no começo do segundo tempo e isso lhes deu espaço para correr e você pode conceder gols assim. Estamos muito decepcionados. É difícil quando você sofre sete gols”, afirmou.

Logo depois da partida, à BT Sport, Pochettino afirmou que seu time precisava enviar uma mensagem de união e mostrar o quão forte é sua mentalidade. Ele seguiu ao vestiário e demorou mais do que o habitual para aparecer na entrevista coletiva. Disse, porém, que não falou nada de especial aos jogadores e que o momento para isso é a partir desta quarta, nos treinos.

“Não vamos resolver nada gritando, quando as emoções estão à flor da pele. Mas você precisa encarar esse tipo de situação. Quando você joga a final da Champions League, foi legal colocar o rosto lá fora após as vitórias contra Manchester City e Ajax. Agora, eu tenho que fazer a mesma coisa e aceitar que não estamos tão bem quanto esperávamos”, disse.

“Para ser honesto, após os 30 minutos do primeiro tempo, foi talvez meu melhor sentimento com o time nesta temporada. É difícil aceitar como o sentimento mudou no segundo tempo. Ninguém no estádio esperava esse tipo de resultado no fim. Foi um jogo um pouco estranho”, completou.

Pochettino sugeriu um efeito psicológico nos jogadores por terem chegado à final da Champions League na última temporada. “Eu disse algumas semanas atrás que seria uma temporada difícil. A final da Champions encerrou um capítulo e agora o clube está em um momento em que precisa começar um novo capítulo e decidir um projeto – de médio, longo prazo”, encerrou.