A quarta rodada do Brasileirão apontou o Palmeiras novamente na liderança. O novamente vem não porque o time tinha sido líder antes nesta temporada, mas porque é o atual campeão e dá bons sinais que vai novamente brigar ali em cima. Venceu, com autoridade, o Atlético Mineiro por 2 a 0 no Mineirão e assume a ponta da tabela. Ainda é muito cedo para saber quem estará lá nas rodadas finais, mas os bons sinais que que o time mostrou em campo é o que se destaca.

A vitória sobre o Atlético Mineiro, que tinha vencido os três jogos anteriores, em pleno Mineirão, foi como se esperava. Os 2 a 0, com dois golaços de Bruno Henrique, vieram de um time que foi muito bem, soube ditar bem as ações da partida e controlar o jogo na fase final, sem sofrer muito. É o que se espera do Palmeiras, embora, evidentemente, não seja algo fácil de se fazer. De qualquer forma, o Palmeiras teve muitos méritos no jogo que fez e a forma como venceu.

Defensivamente, o time do técnico Luiz Felipe Scolari é muito sólido. Se conseguir fazer com que ofensivamente seja mais eficaz, o time ganha predicados difíceis de serem vencidos. Mas isso, claro, depende de muitos fatores diante de um Brasileirão cheio de percalços.

Felipe Melo, um dos pontos altos tecnicamente do time e provavelmente o melhor em campo, é um exemplo do que o time tem feito. Felipão precisa controlar o jogador para que ele não cause problemas, mas é importante dizer que o volante tem sido um grande destaque do Palmeiras na temporada e nestes primeiros jogos do Brasileiro. Não só pelos bons lançamentos e o passe qualificado, mas pela função defensiva também. Para que seja um destaque do Campeonato, Felipe Melo precisa apenas manter o nível e controlar os destemperos.

O Palmeiras teve, em alguns momentos nesta temporada, jogos que conseguiu mostrar pouco repertório ofensivo e, por isso, sofreu. Defensivamente, o time segue sendo sólido, exceto por um ou outro jogo na temporada, o que é natural, já que o estadual ainda dá para ser considerado uma espécie de teste – ainda que um teste valendo.

Mesmo com os desfalques que teve, o Palmeiras tem se mostrado muito bem, fazendo uso do seu recheado elenco. Ricardo Goulart, talvez a principal contratação da temporada, se machucou, mas Zé Rafael rapidamente entrou no time e correspondeu. Gustavo Scarpa também se lesionou, mas o time conseguiu se manter bem com a entrada de Raphael Veiga.

Há muitos desafios pela frente, como, por exemplo, o centroavante que ainda não rende no mesmo nível dos demais jogadores do time, ainda que seja um jogador com seus predicados, e que o time tenta explorar. É inegável que o Palmeiras tem força e o bom início – o melhor do clube em 25 anos, segundo PVC – indica que este é um favorito que tende a estar na briga pela taça até o fim.

Ao Atlético, é preciso pensar no que o time quer e saber o que fazer sobre o comando técnico. O time claramente melhorou sob o comando de Rodrigo Santana. Há elementos a serem aproveitados ali, mas também há uma distância entre arquibancada e time que precisa ser trabalhada. E isso passa pela direção do clube, que é quem tem a caneta para tomar as próximas decisões do time.

Botafogo renascido

Alex Santana comemora gol do Botafogo (Foto: Vitor Silva/Botafogo)

Quem assiste aos jogos do Botafogo neste Campeonato Brasileiro desde a primeira rodada já vê que é muito diferente daquele visto no estadual, com futebol muito ruim e que culminou no óbvio, a má campanha no torneio regional.

Eduardo Barroca tem mostrado boas ideias e, melhor do que isso, tem conseguido aplicá-las, que é a parte difícil. A ideia é importante, mas a execução é crucial. Foi o que se viu na vitória por 1 a 0 diante do Fluminense, no Maracanã, no sábado.

Destaque também para antes do jogo, quando o Botafogo entrou em campo com a estrela solitária do escudo coberta, assim como aconteceu em uma faixa que os jogadores carregaram, em homenagem às 11,6 milhões de mães que criam sozinhas seus filhos, porque os pais as abandonaram.

Foi um belo confronto de futebol, com os dois times tentando se impor. O Fluminense ficou mais com a bola (63,1% a 36,9%, segundo dados da Opta), mas o Botafogo foi tão perigoso quanto o tricolor no ataque. O Flu teve muitas chances e poderia ter tranquilamente empatado, eventualmente até virado o jogo.

O mais importante é que os dois times mostraram futebol, vontade de jogar, de atacar. E mais do que a vontade, mostraram recursos. E não estamos falando de dois esquadrões, pelo contrário. O que importa é que os dois times possuem uma ideia e que a executam bem.

Poucas ideias em Itaquera

O que Corinthians e Grêmio apresentaram em campo no sábado à noite, na Arena Corinthians, em Itaquera, ficou longe do que se esperava dos dois times. O tricolor gaúcho teve seus momentos, assim como o Corinthians, mas o jogo teve pouca coisa para realmente se destacar. Os dois times seguem em campanhas irregulares depois desse 0 a 0 sem muito brilho.

O Grêmio jogou bem contra Santos e Fluminense, ainda que errando, e acabou perdendo esses dois jogos. Contra o Corinthians, faltou mais futebol. O Corinthians sentiu algo que vem sendo comum, que é justamente jogar pouco futebol. O time de Fabio Carille tem evidentes qualidades, mas ainda não consegue ser um time realmente consistente, nem defensivamente, nem ofensivamente.

Reservas afiados

O Flamengo venceu a Chapecoense no sábado de manhã e conseguiu uma vitória protocolar, mas muito importante. Afinal, o time tem pretensões de brigar pelo título e conseguiu colocar os seus reservas em um bom uso. Diante de uma Chapecoense que indica que brigará contra o rebaixamento, nem foi preciso usar todos os titulares e a vitória por 2 a 1 veio com menos sufoco do que o placar pode levar a imaginar.

Entre os destaques, o volante Ronaldo mostrou qualidade, inclusive fazendo o cruzamento para o segundo gol. Vitinho, pela ponta esquerda, marcou o primeiro gol, em bom passe de Miguel Trauco. Orlando Berrío, pela direita, também foi bem, assim como o centroavante Lincoln. Jogadores que mostraram serem opções interessantes ao técnico Abel Braga. Não por acaso, o goleiro Tiepo, da Chapecoense, foi um destaque da partida com cinco defesas. O gol da Chapecoense veio no final do jogo, tornando o placar mais apertado do que o jogo mostrou.

Inter derruba Cruzeiro no final

O Inter tem mostrado mais um ano que tem força, especialmente em casa. E com novos personagens. A vitória por 3 a 1 no Beira-Rio diante do bom Cruzeiro de Mano Menezes é mais uma demonstração que o time comandado por Odair Hellmann tem força.

Nonato, meio-campista que já tem se destacado neste ano, foi um dos destaques do time. Marcou o primeiro gol, de cabeça, em um rebote, mas ele foi além disso. Fez uma ótima partida em um meio-campo que mostrou qualidades, com Rodrigo Lindoso e Edenilson. Paolo Guerrero também foi bem, mais uma vez, e marcou um gol importante na vitória.

Vale ainda destacar a defesa do Inter. Marcelo Lomba foi confiável, mas a dupla de zaga foi, outra vez, enorme. Já era um destaque da temporada passada, sendo uma das melhores, se não a melhor do campeonato. Victor Cuesta e Rodrigo Moledo foram muito bem. Nico López, no ataque, foi outra vez bem, o que também não é novidade, mas segue sendo merecedor de destaque.

Pelo lado do Cruzeiro, o time ficou devendo. Thiago Neves, titular, foi autor do cruzamento para Dedé marcar. Os dois tiveram seus momentos, mas coletivamente o Cruzeiro não foi bem. Mais do que isso, os três gols sofridos certamente preocupam o seu treinador, que sempre prima tanto pelo lado defensivo. Já tinha tomado três do Flamengo na estreia do Brasileirão, em um segundo tempo que foi mal. Agora, toma três do Inter em outro segundo tempo que foi mal. É para ligar o alerta, porque o time pode – e deve – jogar mais.

Santos empilha chances contra o Vasco

No jogo que teve como maior discussão a entrega constrangedora de prêmio para Sidão – e que comentamos e criticamos aqui -, o Santos foi muito bem contra o Vasco. Sidão foi muito mal no jogo, é verdade, mas o Santos empilhou chances. Os 3 a 0 ficaram até barato para o time da Colina. O Santos foi bastante melhor, poderia ter marcado muito mais gols.

Destaque para Rodrygo, que foi muito bem mais uma vez e já começa a deixar saudades antes mesmo de partir para o Real Madrid. Foi um dos melhores do jogo, se não o melhor, e também vale destacar Soteldo. O time de Jorge Sampaoli foi muito bem, mereceu a vitória e já soma 10 pontos, mesma pontuação de Palmeiras e São Paulo, com o alviverde à frente pelo saldo de gols.

Até onde o Santos vai ainda é difícil de saber, mas claramente o time tem rendido muito bem e mostrando muito repertório ofensivo, algo que é o que se espera também de outros times. Há coisas boas a se esperarem ali. Diego Pituca, para além do golaço que marcou, foi muito bem. Tem sido um dos jogadores que mais se destaca com o treinador argentino.

Fortaleza joga melhor que o placar indica

Em Fortaleza, o grande destaque foi Rogério Ceni. Ele recebeu homenagem da torcida do Fortaleza, com um mosaico 3D incrível. Também teve bandeirão da torcida do São Paulo na capital do Ceará, o que unificou as homenagens ao ídolo conjunto. No jogo, o São Paulo venceu por 1 a 0, mas o desempenho do time foi bom e há algo a se comemorar.

O São Paulo foi eficiente para marcar o gol da vitória no segundo tempo, em um contra-ataque muito bem executado. Hernanes, que entrou no segundo tempo, de fato melhorou o time. Ainda fazem falta tanto Pablo quanto Alexandre Pato como referências no ataque. O time pareceu sentir o ritmo, especialmente no primeiro tempo. O Fortaleza foi muito bem em campo e poderia, sim, ter aberto o placar.

Depois, no segundo tempo, os dois times trocaram chances. Depois de abrir o placar, já aos 32 minutos, o São Paulo encaixou outros contra-ataques que poderia ter ampliado o placar. O time se defendeu bem e vale o destaque para Walce, zagueiro da base, de 20 anos. Como zagueiro ao lado de Bruno Alves, ele foi muito bem. Hudson, que foi volante a maior parte do tempo, mas jogou alguns minutos como lateral, também foi bem – foi dele o passe para o gol de Hernanes.

O São Paulo tem o que comemorar do jogo, embora também precise pensar em como controlar melhor a partida, especialmente no segundo tempo das partidas. Perdeu por 4 a 0 do Palmeiras na estreia, mas venceu o Athletico Paranaense em casa, antes de perder do Botafogo fora de casa, fazendo bom jogo, e também perder, desta vez em casa, para o São Paulo. Há bons elementos ali e o Fortaleza foi enorme, encarando esses times de Série A. É preciso que o time mantenha as ideias e o desempenho porque os resultados tendem a vir.