O peculiar regulamento do Campeonato Peruano levou a competição a uma situação bastante bizarra neste final de semana. Para manter vivas as chances de ir à Libertadores, o Melgar precisava perder o seu duelo contra o Alianza Lima – e conseguiu. Apesar de ter inaugurado o placar, levou a virada, buscou o empate, mas acabou mesmo tomando um último gol salvador e perdendo por 3 a 2. Mas como é que o time chegou a essa situação?

VEJA TAMBÉM: Garotinha mostra que é de pequeno que se aprende a amar o Boca Juniors

O Peru tem direito a três vagas na Copa Libertadores. Uma para o campeão do Torneo del Inca, outra para o do Torneo Apertura e a última para o vencedor do Clausura. Os dois primeiros já foram definidos: Alianza Lima e Juan Aurich, nesta ordem. Caso um dos dois vencesse também o Clausura, essa terceira vaga iria então para o time com melhor desempenho na tabela acumulativa. Neste caso, o Melgar.

Antes da última rodada, quem liderava a competição era o Sporting Cristal. A equipe, no entanto, ficou apenas no empate contra Los Caimanes. Caso o Alianza Lima vencesse o jogo contra o Melgar, igualaria a pontuação do Sporting Cristal, mantendo-se vivo na briga pelo Clausura e forçando a disputa de um jogo extra com os Celestes para definir o vencedor. Portanto, é isso mesmo: o Melgar foi a campo contra o Alianza Lima sabendo que apenas uma derrota própria o faria continuar sonhando com a vaga na Libertadores.

Não dá para afirmar se houve corpo mole do Melgar, e a verdade é que, em alguns momentos do jogo, os atletas parece se entregarem de verdade em busca do resultado. E, não sei se por ver o vídeo depois de conhecer a história, o que me pareceu mais suspeito mesmo foram as tentativas falhas do goleiro do Alianza Lima de evitar os gols do Melgar. Veja os lances abaixo e tire suas próprias conclusões. De qualquer forma, campeonato algum pode ter um regulamento que, no fim das contas, force um time a perder uma partida, é completamente antidesportivo. Talvez esse episódio force os responsáveis pelas competições peruanos a repensarem o formato de seus torneios.