Pernille Harder, melhor do ano na Europa, não pôde receber prêmio porque tinha jogo no mesmo dia


	Champions League

A dinamarquesa Pernille Harder foi a vencedora do prêmio de melhor do ano da Uefa. A jogadora foi destaque na campanha do Wolfsburg que foi até a final da Champions League, quando perdeu para o Lyon. A jogadora, porém, não pôde estar presente na festa da Uefa, em Mônaco. Isso porque o evento foi marcado no mesmo dia de uma data de Eliminatórias da Copa. No dia da festa, a jogadora estava concentrada para o jogo da Dinamarca contra a Croácia, em Viborg. A própria jogadora já tinha reclamado disso no dia que foi anunciada como uma das finalistas do prêmio que acabaria vencendo.

LEIA TAMBÉM: Estes são os oito grupos da Champions League 2018/19

No dia 20 de agosto, quando foram anunciadas as indicadas, Pernille Harder comemorou e aproveitou para criticar a Uefa. “Eu estou muito, muito honrada de ser uma das três jogadoras nomeadas para Jogadora do Ano da Uefa! É uma conquista incrível para mim”, escreveu. “Contudo, também me deixa extremamente triste que eu não vou poder participar esse ano por causa das Eliminatórias da Copa do Mundo. No futuro, eu espero que esse evento seja planejado pensando no futebol das mulheres, assim como o dos homens”.

O prêmio de melhor do ano para Harder é a maior honra a um jogador dinamarquês desde Allan Simonsen receber o mesmo prêmio em 1977. Por isso, é algo certamente muito relevante para o futebol da Dinamarca. A jogadora teve que gravar um depoimento sobre a conquista. “Eu estou extremamente orgulhosa e honrada em receber este prêmio, já que sempre sonhei em jogar no mais alto nível desde que eu era uma criança. Eu gostaria de agradecer em particular à minha família pelo seu apoio, assim como meus companheiros, técnicos e equipe de apoio da seleção nacional”, afirmou a jogador no vídeo divulgado pela Uefa.

Na temporada 2017/18, Harder foi campeã alemã pelo Wolfsburg, vencedora da Copa da Alemanha e finalista da Champions League. Em 2017, ela ficou em segundo lugar na premiação, atrás de Lieke Martens. As duas foram finalistas da Eurocopa feminina, mas a Holanda de Martens acabou campeã, o que pesou na sua escolha. Harder, de 25 anos, levou a Dinamarca à final do torneio pela primeira vez. Pernille Harder tenta classificar a Dinamarca para disputar a Copa do Mundo de 2019, na França.

O número de gols da atacante chama a atenção. Na liga alemã, foram 21 jogos e 17 gols. Na Champions League, oito jogos e oito gols, além de seis assistências. Nas Eliminatórias, cinco jogos, cinco gols e três assistências. Faltou mesmo só a Uefa ter o cuidado de marcar a premiação em um dia que não houvesse jogo do futebol feminino. A premiação foi feita no sorteio da Champions League masculina, respeitando o calendário masculino. De fato, é difícil imaginar que o sorteio e a premiação acontecessem em um dia de jogo da data Fifa. Então, a Uefa precisa tomar esse cuidado.


Os comentários estão desativados.