Chris Wilder comandou um dos trabalhos mais empolgantes das divisões de acesso na Inglaterra durante os últimos anos. Seu Sheffield United apresentava um futebol ofensivo e de interessantes variações táticas, que permitiram uma ascensão meteórica da League One à Premier League. E as Blades seguem conquistando admiradores pelo que aprontam na primeira divisão. Nesta segunda, o time fechou a rodada na metade de cima da tabela ao derrotar o Arsenal em Bramall Lane. A jovem equipe dos Gunners esbarrou na solidez defensiva dos anfitriões, que souberam controlar as situações ao longo da noite e aproveitaram suas brechas para vencer por 1 a 0.

O Arsenal mantinha um pouco mais de posse de bola, mas encontrava muitas dificuldades para superar a defesa do Sheffield United. Com muita firmeza, as Blades fechavam os espaços e pouco sofriam com o ataque adversário. Quando Nicolas Pépé poderia ter aberto o placar, aos 21, desperdiçou o passe açucarado de Sead Kolasinac e espirrou o taco diante da meta escancarada. O ataque escalado por Unai Emery pouco funcionava, sem que os londrinos encaixassem suas transições.

Com direito a uma pressão inicial, o Sheffield United também saía ao ataque e aguardava suas brechas. Acabou sendo fatal aos 30, para anotar o gol da vitória. Após cobrança de escanteio, Jack O’Connell escorou de cabeça no segundo pau e Lys Mousset apareceu na pequena área para completar. Um prêmio às boas aparições que o jovem atacante faz pelo clube. O Arsenal ainda tentou recobrar o prejuízo antes do intervalo. Na melhor tentativa, Granit Xhaka mandou de fora da área e o goleiro Dean Henderson salvou com uma belíssima ponte. Além disso, os Gunners se queixavam das decisões do árbitro Mike Dean.

Na volta ao segundo tempo, Emery colocou Dani Ceballos na equipe, para tentar melhorar a criação ofensiva. Apesar de certa melhora momentânea do Arsenal, o Sheffield United também levava perigo em seus contra-ataques – puxados por David McGoldrick e pelo ídolo Billy Sharp, que substituiu Mousset. E a verdade é que os anfitriões até pareciam mais capazes de balançar as redes antes dos londrinos, com finalizações perigosas. Faltava organização ao Arsenal, que não conseguia ameaçar de verdade o goleiro Dean Henderson, travado pela zaga.

Durante a reta final da partida, Unai Emery tentou deixar a equipe mais agressiva, com as participações de Alexandre Lacazette e Gabriel Martinelli. Pouco funcionou. Com os atacantes amontoados, o Arsenal não tinha clareza para romper uma defesa muito bem composta. Na base do abafa, os Gunners ainda tentaram arrancar o empate nos minutos finais. Pararam nos esforços liderados pela trinca de zagueiros do Sheffield United. Depois de superarem Crystal Palace e Everton, as Blades conquistaram outra grande vitória neste retorno à Premier League.

A quem voltou à primeira divisão sob a missão de fugir do rebaixamento, o Sheffield United mira um horizonte diferente. A equipe de Chris Wilder se mete no pelotão intermediário, com 12 pontos conquistados em nove rodadas, ocupando a nona colocação. Fica a cinco pontos do G-4. Já o Arsenal sofreu sua segunda derrota na competição. Os Gunners estão no quinto lugar, com 15 pontos. De momentos empolgantes, a garotada de Unai Emery alterna tropeços que impedem uma sequência mais consistente.

Classificações Sofascore Resultados