A família Abdul Mohsen busca vida nova na Espanha. Depois da imagem que rodou o mundo, em que pai e filho são chutados por uma cinegrafista enquanto fugiam da polícia na Hungria, eles tiveram as portas abertas pelas autoridades espanholas. Ex-técnico de um time de primeira divisão na Síria, Osama Abdul Mohsen conseguiu um emprego no Centro Nacional de Formação de Treinadores. Enquanto isso, seu filho mais novo, Zaid, pôde realizar o sonho da maioria dos meninos de sete anos. Ele entrou em campo com o Real Madrid neste sábado, ao lado de Cristiano Ronaldo, antes da vitória por 1 a 0 sobre o Granada.

VEJA TAMBÉM: Refugiado chutado por cinegrafista ganha nova chance através do futebol

A atitude do Real Madrid é simbólica. Os merengues têm se empenhado bastante em ajudar os refugiados que fogem da Ásia e da África para a Europa. Há algumas semanas, a diretoria anunciou a doação de € 1 milhão, além de oferecer as suas instalações e roupas para os desabrigados. A presença de Zaid em campo enfatiza esta postura. E também há uma coincidência na ocasião: Granada era uma das principais cidades durante a ocupação muçulmana na Península Ibérica. Identificação cultural que permanece sobre a região da Andaluzia e sobre o adversário da tarde.

No dia anterior, Zaid já tinha visitado o centro de treinamentos do Real Madrid junto com seus familiares e conhecido os jogadores do clube. Aos poucos, recupera a simples chance viver com dignidade. Em meio às misérias e aos conflitos ideológicos, dos quais não tem culpa alguma, o garoto terá a chance de crescer em paz no novo país. Quem sabe, para um dia de cumprir seu desejo de se tornar um jogador de futebol. Agora Zaid pode sonhar. Um direito que lhe tinham suprimido em seu país de origem, e que é usurpado de tantos outros inocentes em meio ao caos que se estabelece.

realmadrid (1)