Há um encantamento natural com Pedro neste primeiro turno de Brasileirão. O hiato sem ver um centroavante de qualidade eclodindo no futebol nacional, obviamente, potencializa esses sentimentos. Ainda assim, a qualidade do goleador do Fluminense fala por si. É um jogador que, a cada rodada, ressalta os seus predicados. E depois de três jogos em branco, dois deles pela Série A, tomou a artilharia isolada com um lindo gol. Um chutaço de fora da área que não adiantou tanto, no empate por 1 a 1 contra o Bahia, mas que volta a deixá-lo em evidência.

Algo incrivelmente em falta, a figura do centroavante que tem fome de gol, acaba tendo em Pedro uma nova referência. E o jovem fez a diferença durante o primeiro tempo no Maracanã, mostrando a precisão de seu arremate de média distância. Linda batida forte e longe do alcance do goleiro, que valeu a vantagem ao Flu. Além disso, escancarou outros tantos recursos, entre passes cheios de categoria e belos domínio. Já no segundo tempo, melhor na partida, o Bahia cresceu e conseguiu arrancar o empate no fim. Aos 37 minutos, a cabeçada de Edgar Junio deixou tudo igual. No fim, ainda houve tempo para uma confusão entre ambas as equipes, com os baianos reclamando da falta de fair play. Nada que mudasse o placar.

Pedro chega a 10 gols em 15 partidas no Brasileirão, superando Róger Guedes, que sequer ficou no país para competir pela artilharia. De boas atuações desde o último ano com a equipe principal do Flu, o rapaz de 21 anos surfa na boa fase e mostra como tem potencial. Os torcedores tricolores não têm o que reclamar. Dependendo dos rumos, com Tite já de olho no desenvolvimento do jovem, talvez nem os da Seleção.