O Parma conseguiu o acesso à Serie A do Campeonato Italiano de forma impressionante na última temporada, mas surgiram acusações de manipulação de resultado em jogo ainda da Serie B. A FIGC (Federação Italiana de Futebol) deduziu cinco pontos do Parma para a temporada 2018/19, o que já torna a situação do clube crítica antes mesmo da bola rolar. Além disso, o jogador do Parma envolvido no episódio, Emanuele Calaiò, foi suspenso por dois anos e recebeu multa de € 20 mil.

LEIA TAMBÉM: TAS reverte punição da Uefa sobre o Milan e o clube jogará a próxima Liga Europa

Calaiò mandou mensagens de texto no Whatsapp para Filippo De Col, do Spezia, adversário do Napoli na última rodada da Serie B. Calaiò, ex-jogador do Spezia, teria pedido ao ex-companheiro, além de Claudio Terzi, capitão do clube, que “não se esforçassem tanto”. O Parma venceu o Spezia por 2 a 0, conquistando o seu terceiro acesso consecutivo e voltando à Serie A. Havia possibilidade de punição com a perda de pontos relativo à temporada passada, o que faria o clube perder o acesso à Serie A e ter que disputar novamente a segunda divisão. A punição, porém, foi dada para a próxima temporada.

A FIGC considerou que houve uma tentativa de influenciar o resultado da partida e, assim, decidiu pela punição dos Ducati, apelido do Parma. O clube se defende dizendo que as mensagens enviadas pelo seu atacante, de 36 anos, foram apenas brincadeiras. Mais do que isso, o clube irá recorrer da decisão da punição em pontos e também da suspensão de Calaiò.

“Parma Calcio 1913 nota com grande amargura a sentença dada hoje pelo Tribunale Federale Nazionale”, afirma a nota divulgada pelo clube. “Nós consideramos a sanção ao jogador Emanuele Calaiò, dados os dados que levaram às acusações, iníqua e ilógica em contraste com a recente jurisprudência esportiva, com uma punição pesada dada ao clube”.

“Nós acreditamos totalmente na inocência do Parma Calcio 1913 com relação a qualquer comportamento ilícito já é reconhecido pela Corte Federale di Appello, a quem iremos recorrer em pouco tempo na esperança de encontrar justiça”, diz ainda o comunicado divulgado pelo clube.

Caso a punição a Calaiò seja mantida, a sua carreira fica seriamente ameaçada. Com 36 anos, uma punição de dois anos seria quase uma aposentadoria obrigatória. O Parma, por sua vez, teria problemas já no seu retorno à Serie A, começando com cinco pontos negativos em um time que já seria naturalmente candidato ao rebaixamento, justamente por subir tão rapidamente de divisões.