Quatro derrotas em oito jogos. Os rivais já olham para o Cruzeiro com uma ponta de esperança. É a hora, pensam, de conseguir a virada. Conseguir encostar, brigar por um título que parecia nas mãos da raposa. Só tem um problema aí: quem brigará pelo título? Internacional? São Paulo? Atlético Mineiro? Grêmio? Corinthians? Esses times viveram diversos momentos de instabilidade e, até agora, não conseguiram se estabelecer como forças e rivais de fato na disputa pela taça. E precisarão ser times com aproveitamento de Cruzeiro se quiserem chegar ao almejado título e impedir o time mineiro de ser bicampeão. A missão é possível, mas é bem complicada e altamente improvável.

VEJA TAMBÉM: Nílton achou que tivesse feito um gol, mas apenas passou vergonha mesmo

O Cruzeiro perder quatro dos últimos oito jogos faz com que o time celeste, na verdade, faça o mesmo que os outros times citados: oscile. Esse poderia ser um sinal de que o campeonato está aberto, mas só se um desses times passasse, da noite para o dia, a ser um Cruzeiro em aproveitamento. O Cruzeiro antes dessa sequência, claro. Porque o Cruzeiro perder dois jogos não quer dizer nada quando os rivais também o fazem.

Bom, basta lembrar: em determinado momento, pós-Copa, o Internacional deu pinta de que seria o principal concorrente do time azul de Minas pelo título. Nas seis primeiras rodadas depois da Copa, o Inter perdeu o primeiro jogo, para o Corinthians, e depois venceu os outros cinco. Era hora do Colorado se armar para o bote. Mas aí perdeu para o São Paulo na 16ª rodada e passou a ter uma campanha de grandes vitórias e derrotas surpreendentes – na última quinta-feira, pela 27ª rodada, tomou um estrondoso 5 a 0 da Chapecoense, que briga contra o rebaixamento.

O São Paulo não é muito diferente. Diminuiu a distância para o Cruzeiro para quatro pontos logo após vencer a raposa, na 21ª rodada. Mas aí perdeu do Coritiba por 3 a 1 na rodada seguinte e depois para o Corinthians por 3 a 2. É o time que dá uma no cravo, outra na ferradura. Tem o Corinthians também, que faz jogos gigantes, como fez contra o próprio Cruzeiro, na última quarta-feira, 27ª rodada, vencendo o líder em Belo Horizonte. Mas aí perde do Botafogo na rodada seguinte.

Até a 20ª rodada, o Cruzeiro tinha 76% de aproveitamento dos pontos. Algo tão espetacular que fez com que o time abrisse uma vantagem muito considerável. Naquele momento, eram sete pontos de vantagem sobre o São Paulo, que tinha 65% de aproveitamento, o que já é ótimo. Passadas oito rodadas, o Cruzeiro tem 66,7% de aproveitamento dos pontos. Restam 10 rodadas.

Se o Cruzeiro mantiver o atual aproveitamento de pontos até o final do Brasileirão, alcançará 76 pontos. Parece razoável supor que o time mineiro manterá o ritmo, perderá alguns jogos, vencerá a maioria dos outros. Para que os rivais consigam ultrapassar, precisarão de um aproveitamento espetacular. Digamos, por exemplo, que o Internacional consiga 24 pontos dos 30 que tem a disputar. Isso significa 80% de aproveitamento, algo muito difícil de conseguir. Alcançará, assim, 74 pontos. Não será suficiente para ser campeão se o Cruzeiro mantiver o atual aproveitamento.

ELEIÇÕES: O seu clube também terá eleições para presidente, e você sabe o que esperar?

Digamos, então, que o Cruzeiro diminua o seu aproveitamento daqui até o fim do campeonato. Baixe, digamos, para 60%, o que significa ganhar 18 pontos em 30 possíveis. Assim, o time celeste chegará a 74 pontos. Se o Inter tiver os 80% descritos anteriormente, chegará aos mesmos 74 pontos e a decisão seria nos critérios de desempate – número de vitórias é o primeiro critério, seguido por saldo de gols, gols pró, confronto direto, menos cartões vermelhos e menos cartões amarelos.

Na verdade, será preciso que o Cruzeiro tenha o aproveitamento ainda pior do que 60%. Digamos, 50%. O Cruzeiro, se conquistar só metade dos pontos que tem a disputar, 15, chegará a 71. Para fazer mais pontos, o Inter precisa de 22 pontos, ou 73,3% de aproveitamento nos últimos 10 jogos. Vale algo parecido para São Paulo ou Atlético Mineiro, os outros times que estão entre os quatro primeiros, com um e três pontos a menos que o Inter, respectivamente.

Para que o título não fique nas mãos do Cruzeiro, será preciso que o time azul tenha um aproveitamento muito pior do que o que teve até aqui no Brasileiro. E o Inter (ou São Paulo, Atlético Mineiro…) tenha aproveitamento como não teve até aqui. Será preciso que o Cruzeiro não seja tão bom quanto foi o Cruzeiro. E que Inter seja muito melhor do que foi o Inter. É difícil acreditar que em 10 jogos isso será possível. A matemática é possível. No campo é que os números ainda parecem muito irreais.