Jesús Navas estourou cedo no Sevilla. Titular absoluto do time bicampeão da Copa da Uefa aos 20 anos, o meia fez parte das conquistas da Copa do Mundo de 2010 e da Eurocopa de 2012 com a seleção espanhola. Nome badalado por muito tempo no mercado de transferências e que somente na próxima temporada deixará a Andaluzia. Por € 21 milhões, o jogador de 27 anos se juntará ao Manchester City. Uma transferência que significa, mais do que um passo à frente na carreira, a vitória sobre uma doença psiquiátrica.

Nascido em Sevilha e formado nas categorias de base dos rojiblancos, Navas sofria de um transtorno de ansiedade que não o permitia ficar longe de sua casa e de sua família por longos períodos. Em 2004, o meia abandonou a concentração da seleção espanhola sub-21 por medo de se distanciar de seu cotidiano, assim como recusou a participação no Mundial Sub-20 da Holanda. Além disso, havia a acusação de que a promessa não rendia o mesmo no Estádio Ramón Sánchez-Pizjuán.

Tratando-se com psicólogos do Sevilla, Navas só começou a superar o problema a partir de 2009, quando afirmou estar pronto para fazer sua estreia com a seleção principal e abandonar a Andaluzia. A atitude valeu a ida ao Mundial da África do Sul, mas então especulada transferência para o Real Madrid não se concretizou. Por fim, a mudança para Manchester prova que o transtorno de ansiedade é uma página virada na trajetória do espanhol.

No Manchester City, Navas chega como opção para a ponta direita. Um concorrente com mais predicados ofensivos do que James Milner e capaz de incomodar Samir Nasri, que, apesar da melhora nos últimos meses, apareceu acomodado demais na maior parte do ano. O espanhol pode dar a profundidade de jogo que às vezes falta aos Citizens, além de contribuir bastante no jogo aéreo e na criação – sua média de passes para finalização na temporada só é inferior à de David Silva, enquanto a de cruzamentos igualaria a do compatriota como a melhor do City.

Diante do desempenho decepcionante do Manchester City na temporada, apesar do vice-campeonato inglês, Navas é uma ótima resposta. Nome cativo na seleção espanhola e rodado com a camisa do Sevilla, seu desafio agora é se adaptar à nova realidade na Premier League, demonstrando que a distância da Andaluzia não deve mais ser problema.