Para Koulibaly, Napoli teve menos medo e mais coragem e isso tem a ver com Ancelotti


	Champions League

Um dos destaques do Napoli no empate por 1 a 1 com o Paris Saint-Germain nesta terça-feira, pela Champions League, foi o zagueiro Kalidou Koulibaly. O zagueiro senegalês chamou a atenção especialmente nos confrontos mano a mano com os rápidos e habilidosos jogadores do clube francês. Para ele, o time melhorou no intervalo, depois de sofrer um gol nos acréscimos do primeiro tempo, e isso tem a ver com a participação do técnico Carlo Ancelotti.

LEIA TAMBÉM: Napoli e PSG compartilham as honras e deixam o Grupo C bem embolado

“Eu estou sempre tentando melhorar”, disse o defensor à Sky Sports Italia. “É difícil jogar essas partidas porque você está encarando alguns dos melhores jogadores. Hoje fomos mais ou menos bem”, disse ainda o zagueiro. “Nós estamos decepcionados pelo gol sofrido. Nós iremos melhorar e nós sabemos que ainda há trabalho para fazer”.

“É sempre difícil jogar contra Liverpool ou PSG, então nós temos que ficar focados até o apito final. É muito ruim que nós tenhamos tomado um gol nos acréscimos do primeiro tempo. Nós temos que estar mais focados, mas ainda é um bom empate contra um time cheio de jogadores que podem ganhar uma Bola de Ouro”, analisou o jogador.

“O PSG é um bom time, que quer ganhar a Champions League. Mesmo que nós estivéssemos sofrendo, nós conseguimos aguentar bem. Então, no segundo tempo nós voltamos com menos medo e mais coragem. Nós poderíamos ter marcado dois ou três gols nos primeiros 15 minutos”, disse o zagueiro. “Nós estamos felizes com o empate. Nós poderíamos ter marcado um segundo gol, mas o PSG é muito bem e nós fomos bem”.

Com boa atuação, Koulibaly foi bastante elogiado. “Eu cresci junto com o time. Agora nós iremos abordar esses jogos com menos medo. Eu espero que nós possamos fazer ainda melhor daqui para frente”, disse o zagueiro. “Eu gosto de um contra um. Eu sou um defensor que gosta de duelos, mas agora eu tenho que usar a minha cabeça mais porque às vezes eu vou um pouco à frente demais”, disse o jogador.

“Eu acho que o técnico fica um pouco nervoso quando ele me vê saindo com a bola. Como homem, além de um grande técnico, Ancelotti é uma boa pessoa. Ele é humilde”, declarou ainda o jogador. “Nós tivemos jogadores do time Primavera [de base] no treinamento e ele os cumprimentou antes de começarmos. Para mim, isso foi uma incrível surpresa. Quando eu vejo isso, eu acho que ainda há algumas boas pessoas no mundo. Eu espero que quando eu ficar mais velho, eu seja tão sábio quanto ele”.

 


Os comentários estão desativados.