Slaven Bilic está preparado para uma partida simbolicamente importante, no próximo sábado, quando levará o West Brom ao leste de Londres para enfrentar o West Ham, clube em que trabalhou como jogador e treinador. Embora não seja favorito, está um pouco mais tranquilo porque não precisará encarar o antigo alçapão de Upton Park, desde 2016 substituído pelo moderno Estádio Olímpico.

Bilic comandou a transição de estádio do West Ham, e reconhece a importância da mudança, mas acredita que novo estádio não passa o mesmo temor aos adversários, em sintonia com o que Arsène Wenger comentou sobre as diferenças entre o antigo Highbury e o Estádio Emirates em relação ao Arsenal.

“Não é uma desculpa, mas, se você me perguntar o que era melhor, jogar no Upton Park ou não, não há discussão. Era mais caseiro, mais hostil. Nenhum jogador adversário gostava quando tinha que ir ao Upton Park. Isso é fato. O Estádio Olímpico é muito diferente para o time visitante. Ele gosta mais. Não é que você temia pela sua vida no Upton Park, mas havia tudo ali!”, disse, em entrevista ao Telegraph.

“Olhe para o Arsenal, para o que Wenger disse: ‘Deixamos nossa alma lá (no Highbury)’. E é verdade. Até mesmo o Atlético de Madrid. O novo estádio deles é legal demais. O Upton Park o obrigava a fazer isso (levanta as mangas vigorosamente). O Highbury o obrigava a fazer isso, o antigo estádio do Atlético o obrigava a fazer isso. Tudo está em cima de você, tudo está próximo. E você tem essas memórias e essas responsabilidades. ‘Isso é o que fizemos aqui e ali’. É diferente”, completou.

Bilic acredita que a mudança de atmosfera dos estádios também modifica os torcedores. “É que nem nos pubs. Agora você tem bares modernos. Quando você sai do pub e vai para eles, não se sente confortável. Eles preferem pubs lotados, ombro a ombro”, disse. “Você não quer quer perder essa vantagem hostil em casa e há poucos desses clubes tradicionais na Premier League porque a liga o força a se tornar mais uma corporação do que um clube de futebol”, disse.

E, por isso, ele está satisfeito no West Brom. “Para ser justo, prefiro aqui. Este escritório, este centro de treinamento. Este estádio. Amo o cheiro da grama. Eu estava muito envolvido (no novo CT do West Ham) e sempre dizia: ‘Não o transforme em um hotel cinco estrelas. Isto é um cento de treinamento’. Quando levei a Croácia à Eurocopa de 2008 na Áustria, eu e meu assistente fomos a alguns lugares que pareciam o Palácio de Buckingham”, disse.

“Com mármore e tudo. No começo, estávamos ‘wow, isto é ótimo’. Mas eu disse para meu assistente (Nicola Jurcevic): ‘Consegue nos imaginar andando por aqui depois do treino de chuteiras? Neste mármore?’. Estávamos nos preparando para os jogos. Precisávamos nos concentrar”, completou.

Por fim, Bilic nem esboçou negar que será especial enfrentar o West Ham. “Não vou dizer que seria a mesma coisa que jogar contra, sei lá, o Arsenal. É o West Ham. Eu estive lá como jogador e como treinador. Eu não joguei ou treinei 10 clubes ingleses. Eu joguei por dois (Everton também) e treinei dois”, encerrou.