O Milan segue encarando os problemas que regem a sua temporada. O time de Gennaro Gattuso sofre com os constantes apagões e apresenta problemas na criação ofensiva. No entanto, ganha motivos para confiar em sua ascensão neste segundo turno da Serie A. Lucas Paquetá não demorou a apresentar sua personalidade com a camisa rossonera. Além disso, o retorno impactante de Andrea Conti após longo período afastado por lesão e a recuperação de Gianluigi Donnarumma à sua melhor forma também impulsiona os milanistas. A partir deles, o clube conquistou uma importante vitória pela Serie A nesta segunda. Dentro do Estádio Luigi Ferraris, derrotou o Genoa por 2 a 0.

Por conta da Supercopa da Itália, a partida acabou marcada para esta segunda. Além do mais, os temores com violência das torcidas levaram o pontapé inicial para o meio da tarde. Obviamente, as arquibancadas estavam vazias, não apenas pelo péssimo horário, como também por boicote dos ultras. Em campo, Gonzalo Higuaín e Krzysztof Piatek se ausentaram. Enquanto o argentino segue fora do time às portas de sua transferência ao Chelsea, o provável substituto em Milão estava suspenso e por isso não atuou com o Grifone.

Quando a bola rolou, o Milan viveu um primeiro tempo claudicante. Logo aos 13 minutos, Cristian Zapata se lesionou e deu lugar a Conti, com Ignazio Abate deslocado ao miolo de zaga. Além disso, o Genoa dominava as chances de gol. Tinha mais iniciativa e pressionava os visitantes, com Christian Kouamé aparecendo bastante para finalizar. Ao menos Donnarumma esteve sempre atento e realizou boas intervenções quando exigido. Os rossoneri viviam de espasmos, mas ainda assim poderiam ter saído em vantagem pouco antes do intervalo. Paquetá acertou um chutaço de primeira da entrada da área e carimbou o pé da trave.

A chave da vitória do Milan esteve em seu meio-campo. Tiemoué Bakayoko fez uma partida muito consistente na marcação. Enquanto isso, Paquetá participava bastante no apoio, municiando os seus companheiros. O brasileiro deslumbrou ao aplicar uma lambreta em Daniel Bessa, mas também foi importante na construção das jogadas. Deu um lindo lançamento para Fabio Borini, que finalizou cruzado e quase abriu o placar, antes de cabecear sem tanta força o cruzamento de Hakan Çalhanoglu. Os milanistas, de qualquer maneira, permaneciam sob riscos. Donnarumma voltaria a fazer milagre, em defesa dupla ante Miguel Veloso e Daniel Bessa.

O Milan só pôde respirar aliviado aos 27 minutos, quando Borini anotou o primeiro. Suso iniciou o trabalho na ponta direita, antes que Conti cruzasse com precisão, para o companheiro escorar às redes. O Genoa não deixou de lutar e só não empatou porque Donnarumma fez uma defesa monumental, dando leve desvio em bomba de Miguel Veloso. Por fim, um contra-ataque concluiu o resultado favorável aos rossoneri. Patrick Cutrone lançou Suso com maestria e o espanhol estufou as redes. Instrumental ao clube nas últimas temporadas, o ponta não anotava um tento desde o início de novembro.

O Milan soma 34 pontos na Serie A, ainda na quarta colocação. Sua briga principal é contra os times no retrovisor: Roma (33 pontos), Lazio (32), Atalanta (31) e Sampdoria (30). A regularidade será fundamental para confirmar o retorno à Liga dos Campeões. O Genoa, por sua vez, faz uma campanha fraca. É o 14° colocado, a seis pontos da zona de rebaixamento. No próximo sábado, os milanistas terão um desafio considerável ao receberem o Napoli no San Siro. Teste aos garotos que despontam neste início de ano.