Palmeiras acelerou no primeiro tempo e construiu uma bela vantagem sobre o Red Bull Bragantino

Como disse Raphael Veiga depois do primeiro tempo, “com dois atacantes rápidos, nosso time fica mais veloz”. Difícil discordar dessa lógica, especialmente ao ver como o Palmeiras passou por cima do Red Bull Bragantino, por 3 a 1, nesta quinta-feira, pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil.

O interino Andrey Lopes, talvez em um dos seus últimos jogos à frente do Palmeiras antes da possível chegada de Abel Ferreira, escalou Rony e Wesley pelas pontas, com Felipe Melo de volta à posição de volante ao lado de Zé Rafael, e a combinação entre todos esses jogadores foi fatal para os donos da casa no primeiro tempo.

Foi na velocidade – para ser justo, como também foram os melhores momentos do time sob o comando de Vanderlei Luxemburgo – que o Palmeiras anotou três gols antes do intervalo. Zé Rafael arrancou pela direita, venceu o marcador e cruzou rasteiro para a entrada da área. Raphael Veiga chegou batendo e contou com o desvio para abrir o placar.

O Red Bull Bragantino respondeu com uma cabeçada perigosa de Ytalo, mas o Palmeiras ampliaria o marcador sem muita demora. O lançamento de Felipe Melo encontrou Wesley nas costas da defesa e bastou ao atacante palmeirense dominar a bola, ganhar a frente, entrar na área e bater forte. Pela direita, Veiga enfiou para Rony, que cruzou rasteiro. Léo Ortiz cortou muito mal e deu a assistência para Luiz Adriano fazer o terceiro.

Embora os índices de posse de bola do Red Bull Bragantino tenham se mantido parecidos – 62% x 64% -, o Palmeiras adotou uma postura mais passiva no segundo tempo. Não era difícil de entender, com vantagem tão ampla e em meio a uma maratona de jogos. Ainda teria os caras rádios na frente para tentar castigar no contra-ataque e quase conseguiu.

A única finalização na etapa final foi com Rony, novamente recebendo lançamento de Felipe Melo. Na rede pelo lado de fora. A melhor chance, porém, foi um contra-ataque. Rony deixou Aderlan Silva para trás e se aproximou da área, ele e Wesley contra Claudinho. O goleiro Cleiton adiantou-se para tentar desequilibrá-lo. E conseguiu. Rony tomou a decisão errada e passou direto nos pés de Claudinho. Ainda havia Raphael Veiga chegando de trás.

A produção ofensiva superior do Red Bull Bragantino no segundo tempo gerou frutos apenas aos 38 minutos, ao fim de uma sequência de bons ataques, quando Morato trouxe pela direita e deixou para Hurtado bater da entrada da área. Um gol importante, mas que não impede que o Palmeiras receba o adversário, no Allianz Parque, com uma grande vantagem.

.