Um dos estádios mais importantes para a história do futebol mundial passará por reformas. Segundo informa a agência EFE, o Azteca, palco das finais das Copas do Mundo de 1970 e 1986, além das Olimpíadas de 1968, será reformado por uma empresa espanhola, a Molcaworld, que esteve envolvida em projetos dos estádios do Sevilla, Valencia e do Atlético de Madrid nos últimos anos.

O estádio é usado como casa da seleção mexicana e também do América e Cruz Azul. A Molcaworld esteve no projeto de reforma do estádio Ramón Sánchez Pizjuán, do Sevilla, e também no projeto de desenvolvimento do novo Mestalla, do Valencia. Fez parte também do design do Wanda Metropolitano, estádio do Atlético de Madrid.

Será feita uma revitalização do estádio, já visando também a Copa do Mundo de 2026, que será sediada pela primeira vez por três países: México, Canadá e Estados Unidos. A reforma será geral: a fachada, a arquibancada, os vestiários, as salas de imprensa, as áreas VIP e zonas interiores do estádio serão modernizadas.

Além dos projetos mais famosos que participou, a Molcaworld, que é de Valencia, também participou de reformas do estádio La Rosaleda, do Málaga; Benito Villamarín, do Betis; Balaídos, do Celta; Ciudad de Valencia, do Levante; El Alcoraz, do Huesca; El Sadar, do Osasuna; Son Moix, do Mallorca; e o RCDE Stadium, do Espanyol.

O projeto no Azteca será o primeiro feito na América Latina pela Molcaworld. A empresa tem sócios no México, na Argentina, Uruguai e Paraguai, e tem a ideia de trabalhas em outros projetos na região. A empresa alega que as melhorias ajudam a aumentar a frequência de torcedores nos estádios e a exposição dos patrocinadores nas zonas internas, levando a uma valorização dos valores recebidos.