A Red Bull fez uma série de vídeos que são bem interessantes sobre a relação entre os torcedores e os seus times. A série entrevistou torcedores da América Latina que mostraram um pouco da sua paixão pelo futebol. Eu disse futebol? Pelo seu clube mesmo. Todo torcedor tem suas loucuras e as histórias são divertidas. São quatro episódios, em quatro países: Brasil, Argentina, México e Chile. Você assiste abaixo os quatro episódios da série Fanáticos Pro.

Devota FC

Alguns dizem que futebol é como uma religião. E as similaridades são enormes mesmo, não dá para negar. Lorena Amaro é uma dessas. O Atlético Mineiro é um clube de futebol, mas para ela, é muito mais do que isso. Tudo gira ao redor da sua paixão, incluindo outra paixão: a esposa, por quem ela se encantou ao ver uma foto que tinha o escudo do clube no fundo. Não por acaso, este episódio da série chama Devota FC.

O torcedor infiltrado

Diego Milner é um torcedor do Boca Juniors que não consegue assistir aos jogos do seu time no mítico estádio da Bombonera. Isso porque é preciso ser sócio e há uma imensa fila para poder ser um dos 49 mil que consegue estar no estádio – há mais de 100 mil sócios. Então, qual foi a solução encontrada? Se infiltrar nas torcidas rivais. Na Argentina, quase sempre é proibido torcida adversária nos estádios. Então, ele precisa se infiltrar para poder ver o time do seu coração no estádio.

O contador de histórias

Sergio Patiño, conhecido como Ivansfull, é um contador de histórias. Ele usa sua câmera para compartilhar os momentos que torce pelo seu clube, Chivas Guadalajara. Veja, ele torce pelo time que é de uma cidade diferente da sua: nasceu e cresceu na Cidade do México. Mesmo assim, se apaixonou mesmo pelo Chivas e faz tudo pelo time.

Nunca jogará só

Sebastian Carrera é um torcedor de um time pouco conhecido: o Puerto Montt. Um time do sul do Chile, da região da Patagônia, no Chile. Ele já viajou para uma partida fora de casa, a 1.500 quilômetros da sua cidade, para acompanhar o clube. E foi sozinho. Esteve sozinho no estádio no jogo em Coquimbo, no norte do país. Porque ele não poderia deixar o seu time viajar sozinho. A sua história ficou conhecida e ele ganhou o prêmio da Fifa de torcida, em 2018.