Veloz, agressivo, com toque de bola refinado e sedento por gols. O Arsenal dos melhores momentos com Arsène Wenger ressurgiu, nesta segunda-feira, durante metade do segundo tempo contra o Leicester e foi lindo de se assistir. Com uma atuação magistral de Mesut Özil, a equipe de Unai Emery ganhou por 3 a 1 e chegou à décima vitória seguida na temporada.

O que mais impressionou foi a qualidade do jogo nesses aproximadamente 20 minutos. Intensidade total e construção de lindas jogadas para ganhar com autoridade, o que parecia difícil diante da boa exibição do Leicester no primeiro tempo. Foi o time mais perigoso. Exigiu uma linda defesa de Bernd Leno, em cabeçada de Harry Maguire, teve um pênalti não marcado a seu favor e abriu o placar com um gol contra de Bellerín.

Antes mesmo do intervalo, Özil já mostrou que estava afim, com um raro lance em que entrou na área para finalizar. Ele começou a jogada arrancando pela direita, abriu com Bellerín e compareceu para finalizar com uma elegante chapada no canto de Schmeichel. Aos 18 do segundo tempo, ele deu um passe rasteiro que cortou duas linhas de marcação do Leicester. Encontrou Bellerín livre para cruzar. Aubameyang anotou.

A obra de arte foi o terceiro gol. A jogada começou lá atrás, com o goleiro Leno. Xhaka limpou a marcação e tocou para Torreira. Özil emendou de calcanhar para Guendouzi. Bellerín mais uma vez apareceu bem no campo de ataque e passou para Özil, que fez o corta-luz abrindo as pernas. Recebeu de Lacazette, dentro da área, e tirou o goleiro com uma Trivela. Aubameyang apenas conferiu.

Depois disso, o Leicester, nocauteado, não conseguiu reagir. O Arsenal mostrou sua melhor face nesta partida, selando sua sequência de dez vitórias seguidas. O desafio é sempre o mesmo: ser capaz de atuar nesse nível com consistência para disputar o título da Premier League.

.

.


Os comentários estão desativados.