Outra Cidade

O maior golpe fracassado de Istambul começou como briga de torcidas

Na última sexta-feira, o mundo voltou seus olhares à Turquia. Uma tentativa de golpe foi conduzida por militares que fazem oposição à Recep Erdogan, presidente islâmico-conservador do país. No entanto, acabou fracassada pela primeira vez em seis tentativas de tomada de poder nos últimos 56 anos. Antes disso, uma dessas ofensivas também falhou. Mas há muito, muito tempo. E foi um capítulo importantíssimo da história daquela região, que, na época, ainda não era a nação como se conhece hoje. O mais curioso é que a tentativa, conhecida como Revoltas de Nika, teve como mote briga de torcidas.

VEJA TAMBÉM: Contra o terrorismo, torcida do Fenerbahçe propõe arquibancada mista com o Galatasaray

A Turquia é um dos países onde política e história mais se misturam com práticas esportivas. É só olhar para as arquibancadas nos estádios ao redor do país. As torcidas vibram, pulsam e sofrem pelo que vêem em campo. Mas não se limitam a isso. O engajamento dos fanáticos é incrível. Para eles, não tem como desvencilhar o futebol de questões políticas que envolvem desde os clubes até o próprio governo. E, embora o episódio das Revoltas de Nika tenha partido da rivalidade entre torcidas, ele não se trata de futebol, e sim de corrida de bigas, que era uma das atividades mais populares naquele tempo.

É importante resgatarmos a história para entender as origens dessa conexão entre torcidas organizadas e política, ainda que o ponto de partida não estivesse ligado ao esporte que, hoje, é o mais popular do país. Confira o texto de Ubiratan Leal no Outra Cidade falando sobre a briga de torcidas que impulsionou uma tentativa de golpe de Estado que, assim como a da última sexta-feira, foi um fracasso.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Bloqueador detectado

A Trivela é um site independente e que precisa das receitas dos anúncios. Considere nos apoiar em https://apoia.se/trivela para ser um dos financiadores e considere desligar o seu bloqueador. Agradecemos a compreensão.