A Euro 2012 chega ao fim com saldo positivo, dentro e fora dos gramados. Com apenas duas partidas terminando sem gols, o torneio teve média de 2,45 tentos por jogo, bem próxima à marca de 2,48 registrada nas duas edições anteriores. E os torcedores se empolgaram com o que viram. Ao todo, 1,44 milhões de pessoas passaram pelos estádios da Ucrânia e da Polônia, novo recorde da competição – com média 46 mil torcedores por partida, a maior desde 1988.

Primeira seleção da história a conquistar em sequência dois torneios continentais e uma Copa do Mundo, a Espanha também foi a primeira bicampeã da Euro – e, com três títulos, iguala à Alemanha como maior vencedora da Eurocopa. Vicente Del Bosque compartilhou as glórias como o pioneiro a se sagrar campeão mundial e continental treinando uma seleção e um clube – levou a Champions e o Mundial em 2002 com o Real Madrid.

De certa forma, o futebol de posse de bola da Fúria também alterou os estilos das outras seleções. Foram 910 trocas de passes por jogo, 109 a mais do que em qualquer outra Euro desde 1980, quando a estatística passou a ser computada. E os gols marcados de cabeça também notabilizaram a competição: foram 22, representando 29% do total.

Nas próximas linhas, acompanhe um apanhado com os melhores números do torneio. Confira análises sobre os jogadores que se sobressaíram individualmente ao longo das 31 partidas disputadas e também sobre os coletivos que acabaram prevalecendo.

– Números coletivos
– Goleiros
– Números individuais defensivos
Números individuais em passes
– Números individuais ofensivos

Fontes: whoscored.com e transfermarkt.co.uk