Aos 41 minutos do segundo tempo, Wayne Rooney apareceu para fazer 3 a 2 para a Inglaterra e definir a vitória difícil contra a Eslovênia, fora de casa. Poderia ter sido o grande destaque da quinta vitória consecutiva da equipe, que lidera o Grupo E das eliminatórias da Euro 2016, mas foi ofuscado por sua própria atuação ruim no jogo até então e pelo brilho de Jack Wilshere, autor de dois golaços, seus primeiros pela seleção inglesa.

VEJA TAMBÉM: Título da Libertadores do Palmeiras fica ainda melhor com a narração de Super Nintendo

O gol de Rooney que definiu a vitória foi seu 48º pela Inglaterra. Igualou a marca de Gary Lineker e está, agora, a apenas um gol de alcançar o maior artilheiro da história da seleção, Bobby Charlton, também ídolo do Manchester United. Motivos para comemorar? Talvez, se o próprio capitão não tivesse perdido tantas ótimas oportunidades de gol no duelo com os eslovenos, que o fizeram sair de campo com a imagem um tanto quanto negativa, mesmo sendo o autor do último gol.

Wilshere, por outro lado, é a razão pela qual os ingleses deixam o campo com um grande sorriso no rosto. O meio-campista, de quem muito se espera, sofre bastante com contusões, e vê-lo bem deve ser um alento para uma torcida exigente e que sofre com a fila de quase cinco décadas sem títulos. Tendo feito sua estreia em 2010, Wilshere jogara 27 vezes com a camisa da seleção até então e não havia balançado as redes. Com os dois golaços quase idênticos deste domingo, que ajudaram a isolar os ingleses na liderança do Grupo E – com 18 pontos, nove a mais que a segunda colocada Eslovênia, a quatro rodadas do fim -, pode ter inaugurado um novo momento pela equipe.