Dando prosseguimento à epopéia dos principais e mais marcantes jogos dos anos 90, é hora de completar a lista e saber quais os cinco últimos games que esse colunista selecionou para o Top 10. Como já dito anteriormente, não se pretende, aqui, ser o dono da verdade, até pela vasta quantidade de games já desenvolvidos para o ramo, especialmente naquela década, motivados pelo sucesso nos anos 80. O que se busca é promover uma seleção baseada nas boas conseqüências que esses jogos trouxeram para o mundo dos games futebolísticos.

Mais uma vez, serão citados games de todas as plataformas, passando, claro, pelo Arcade, com os históricos Hat Trick Hero – ou Football Champ, como preferirem! – e Virtua Striker; e novamente pelos jogos para PC, com o já comentado Actua Soccer. Além disso, mais uma vez, a série FIFA mostra porque é considerada, se não a melhor (embora essa seja uma discussão eterna), a mais tradicional do meio futebolístico, emplacando na lista um de seus jogos mais primitivos, mas não menos importantes. E, claro… Não poderia faltar a primeira grande alavanca de uma das séries mais importantes do futebol virtual, e mais especificamente, dentro do mundo manager.

Confira abaixo os últimos cinco games desse saudoso Top 10. E vale lembrar: há muitos outros jogos que também poderiam estar aqui. Melhor para nós, aficionados pelo futebol virtual, que, desde o passado, somos constantemente agraciados com novidades. Embora, vale o comentário, não seria nada mal que mais uma série surgisse para engrossar um pouco a disputa com Pro Evolution e FIFA…

FIFA International Soccer (FIFA 94)
Eletronic Arts (EA Sports), 1993 (Mega-CD, SNES, Game Gear, Mega Drive, DOS, Amiga, 3DO, Game Boy)

Só o fato de este game marcar a entrada da FIFA no mundo dos futebol virtual já denota a importância de FIFA International Soccer e o garante entre os 10 mais marcantes da última década. Tratava-se da tentativa mais firme da Eletronic Arts (EA) em ganhar espaço dentro do esporte de mais evidência no mundo. A diferença em relação a outros jogos da empresa, como Madden (futebol americano) e NHL (hóquei) era que a EA Sports entraria em um mercado cuja disputa já estava acirrarada, com games como Sensible Soccer na dianteira. Gráficos mais detalhados do que os jogos futebolísticos da época e a visão diagonal, que, à bem da verdade, dava uma melhor dimensão do gramado como um todo em relação aos concorrentes, foram chamarizes interessantes e responsáveis por ajudar FIFA a se notabilizar junto ao público.

Mas, claro, é inegável que o nome FIFA foi o carro-chefe da série, mais do que qualquer inovação que se fizesse à época. E mesmo o fato de a versão inicial da franquia ter apenas seleções não tirou a graça do jogo. Pelo contrário: nomes como Rico Salamar e, principalmente, o artilheiro Janco Tiano, ganharam notoriedade, “rivalizando” na cultura futebolística gamer brasileira (já aproveitando a moda da votação 'Quem foi melhor?'), com a dupla de International SuperStar Soccer, Gomes e Allejo. Aliás, vale a curiosidade: um dos programadores do game tinha o nome de Jan Tian… Similaridades são meras coincidências? Destaque também para a presença de Bruce McMillan, um dos produtores mais bem sucedidos do mundo gamer, e que participou deste e de outros jogos da série FIFA até 1999. Vale apontar também que a franquia começou a perder espaço para a Konami justamente com o começo da atual década…

Hat Trick Hero / Football Champ
Taito, 1991 (Arcade, Amiga, SNES)

O futebol nos Arcades ganhou uma notoriedade maior com o 'boom' de Super Sidekicks e, posteriormente, Virtua Striker. Games, aliás, que já foram analisados nessa coluna. Mas foi Hat Trick Hero o primeiro a mostrar que o futebol podia, sim, dar certo nos fliperamas. Tanto que uma de suas características era, curiosamente, a possibilidade de até quatro jogadores atuarem ao mesmo tempo, até contra a própria máquina. O que permitia aventuras curiosas, comparáveis àqueles jogos de fases (Tartarugas Ninjas, por exemplo). Para quem gostava de ir para o fliperama se divertir em grupo e praticar um bom futebol, HTH era diversão garantida.

Além disso, em uma época onde a simulação ainda não era prioridade, invenções como um chute especial e praticamente indefensável se tornaram famosas e se mantiveram quando o jogo foi reproduzido para consoles, embora sem o mesmo sucesso (vide a jogabilidade tosca presenciada, ao menos, na visão deste colunista, no Super Nintendo). Quanto ao modo de jogo, basicamente, havia oito seleções a serem escolhidas, e sete desafios pela frente. Em caso de empate, adeus ficha! Já a respeito da nomenclatura do game, essa recebeu diversas variações. Apesar de Hat Trick Hero nomear o jogo original, quando levado às Américas, passou a ser conhecido como Football Champ. Na Europa, por sua vez, o nome dado foi Euro Champ 92, em alusão ao ano em que o game faria referência – ou seja, o seguinte ao seu lançamento. No fim, HTH abriu a porteira de vez no futebol arcade para sucessores.

Actua Soccer
Gremlin Interactive, 1995 (PC, Playstation)

Se falarmos de gráficos em terceira dimensão, não podemos, sem sombra de dúvidas, esquecer de Actua Soccer. O game foi o primeiro de futebol a utilizar a engine em toda sua composição, o que representou um marco significativo para o meio. Afinal, daquela época para frente – o que comprova que, embora o jogo não tivesse estourado como outros com suas versões anteriores (no caso de AS, mais especificamente, o terceiro número da série), a Gremlin acertou em cheio a tendência futurista do futebol virtual – os games do esporte mais famoso do mundo passaram a investir com mais firmeza na questão gráfica. Apesar disso, como comentado na coluna acerca deste jogo, é inegável que a jogabilidade limitada foi um grande empecilho para a afirmação do game no mercado.

Basta dizer que, em seguida, a EA Sports lançou o primeiro FIFA em 3D (FIFA 96). E com uma base de dados infinitamente mais forte; uma jogabilidade que, embora não fosse um primor, era bastante superior à de Actua Soccer; e a força do nome FIFA, o game da empresa canadense quase suprimiu a novidade proveniente dos esforços da Gremlin, que, no entanto, foram suficientes para iniciar uma interessante rivalidade no mercado futebolístico virtual entre os dois jogos e que perdurou até aproximadamente o final de 1998. Na ocasião, o fracasso de Actua Soccer 3 e o acachapante sucesso dos FIFAs que se sucederam (98 e 99) fizeram com que a Eletronic Arts praticamente anulasse esta concorrência, abrindo espaço para que a Konami e seus jogos (ISS e, posteriormente, Winning Eleven), assumissem o posto de adversários de mercado.

Virtua Striker
SEGA, 1994 (Arcade)

Com a notoriedade que os games de futebol nos Arcades adquiriram, a tendência era, de fato, o investimento em novidades que chamassem cada vez mais a atenção dos aficionados. A questão gráfica, na metade da década, era quase que primordial para que um game tivesse sucesso. E foi algo que Virtua Striker cumpriu com precisão. Criado em 1994, o game da Sega era o primeiro para fliperamas a utilizar a tecnologia 3D para jogos de futebol, através de um sistema desenvolvido pela empresa japonesa que detalhava com mais firmeza os polígonos do jogo. Dono dos mais belos gráficos para jogos do ramo (inclusive se comparados aos jogos de consoles caseiros), não surpreendeu o sucesso que o game teria em sua época, sendo encontrado, até hoje, em algumas das casas de fliperamas sobreviventes do Brasil.

A jogabilidade, embora de difícil controle no primeiro momento, não era das mais complexas, até por utilizar apenas três botões – passe, lançamento e chute, basicamente. Ganhou evidência também com a colocação da barra de força no arremate, permitindo que o controlador pudesse coordenar a potência do chute que desejava inserir. Todavia, com o tempo, o jogo passava a ser consideravelmente fácil, e o desafio acabava sendo “bater o recorde” da máquina, mais do que superar a mesma. De qualquer forma, mesmo com alguns contratempos, Virtua Striker é referência do futebol arcade da então “Next Generation”, e é sempre lembrado, ao lado de Super Sidekicks e Hat Trick Hero, como um dos melhores jogos eletrônicos já lançados para fliperama. (PS.: para os mais fãs e que sempre tiveram a curiosidade de selecionar a equipe especial da Sega, basta selecionar as seleções da Suécia, Inglaterra, Alemanha e Argentina, apertando o botão Start após colocar o cursor em cada uma das equipes. Boa diversão!).

Championship Manager 1993/94
Sports Interactive, 1993 (PC, Amiga)

A série Championship Manager (CM), nos dias de hoje, perdeu praticamente todo o mercado para Football Manager (FM). A base para tal é a divisão entre a Eidos e a Sports Interactive (SI). No entanto, o nome CM ainda é muito forte e é confundido com o próprio rival. Força essa que começou mostrar resultado em julho de 1993, quando a SI, empresa detentora da database do FM (o que dá boas explicações à ascensão de um e derrocada de outro), desenvolveu Championship Manager 1993/94. O jogo era a segunda versão da franquia, iniciada em 1992, mas que passou longe do sucesso. Desenvolvido por Paul e Oliver Collyer, que, aliás, prepararam o jogo anterior da série em seu próprio quarto (!), CM 93/94 tinha como novidades um aumento considerável no número de jogadores disponibilizados – inclusive estrangeiros -, novos campos e comentários, e principalmente: a utilização dos nomes reais dos jogadores e a inserção da liga inglesa. Agora sim, o passo rumo ao sucesso foi dado com primor.

Mas há outras curiosidades acerca desse game, como o desenvolvimento de updates e versões especiais com base nos dados de CM 93/94, como o Championship Manager Italia (o mesmo comentado pelo leitor João na coluna passada), que tinha as disputas das duas principais divisões da Terra da Bota. Até mesmo um Championship Manager Norge, referente ao campeonato da Noruega, foi lançado através da database do jogo de Paul e Oliver Collyer. Updates da própria Premier League, com alterações de meio e fim de temporada, também estavam entre as modificações feitas. Mas vale lembrar: apesar de não ser o primeiro game, foi a partir daí que a série começou a se consagrar. Portanto, nada mais justo do que o real precursor ser o representante da franquia nesse Top 10.