Este é o episódio é parte da Saga de FM Os 12 trabalhos de Hércules. Confira todos os episódios aqui.

Os 12 trabalhos de Hércules

Por Jirimias*

O Hercules era a terceira equipe em indisciplina, e isso incomodava Nuñes, que vez ou outra precisava modificar o time para suprir as ausências. O maior índice de indisciplina estava no meio campo: Omgba liderava o número de cartões (16 no total), enquanto Gabriel Soares contabilizava o maior número de expulsões (duas), números que ilustravam a tendência do esquema de neutralizar o adversário antes de chegar à defesa. No setor defensivo, Edgar Ié tem o melhor índice de desarmes: 72%, que só não é superior ao de Arthuro, com 80% de aproveitamento nos desarmes. Por outro lado, o aproveitamento de Arthuro depois dos quatro gols marcados num jogo só não tem repetido: foi apenas um gol nas dez últimas partidas. Felizmente, Berrocal voltou a balançar as redes e segue mantendo a artilharia do time na temporada.

foto 01

twV0xgb.png  Copa da Federação: Jogo de ida

Antes da partida que abriria a disputa pela Copa da Federação, Barcelona B e Hercules se enfrentariam num jogo que deveria ser a disputa entre o líder e vice-líder, mas àquela altura do campeonato, o Barcinha contentava-se em comemorar a manutenção matemática. Ainda assim, o foi mais determinado e bateu por 1 a 0 o líder da B3. Era preciso superar a derrota o quanto antes, pois em alguns dias, o time de Alicante entraria em campo para a disputa da primeira partida da final da Copa da Federação.

Para este jogo, Nieto ficou no banco, ainda se recuperando da lesão, Flores foi colocado em seu lugar. Sem Nieto, o Hercules colecionava dias ruins. Como era esperado de uma final, as duas equipes iniciaram o jogo estudando uma a outra. Chance clara mesmo somente aos 23 com uma bola na trave chutada por Minaño. Foi o máximo que as duas equipes fizeram na primeira etapa.

No segundo tempo, Nieto foi a campo e recebeu aplausos da torcida que entendia sua importância. Minutos depois, a torcida do Hercules ficaria calada com o gol de Figueroa. Sem produzir nada, Nuñes alinhou seu time no 4-3-3, colocando Arthuro ao lado de Berrocal e Mainz. O Hercules até chutou mais vezes, mas sem levar perigo.

FM foto 02

Parecíamos um bando. Nieto corria como um louco de cabeça baixa, os atacantes estão ruim de pontaria, enfim, deu tudo errado. Era pensar no jogo de volta– Fernando Nuñes, treinador do Hercules

Dois jogos sem vitória foram suficientes para ligar o alerta no Hercules, que contra o Mallorca B não conseguiu mais que um empate por 1 a 1, colocando fogo na disputa pela liderança da B3. Na partida seguinte contra o Cornellà , o Hercules voltou a fazer uma boa atuação. Arthuro atuou na posição de jogador alvo e fazia o pivô para os pontas, a movimentação surtia efeito lá na frente. Na zaga, o time não demonstrava a mesma força que ajudou na arrancada até a liderança, e a partida virou uma festa de gols. Por fim, o Hercules acabou com a má fase marcando três e levando dois gols.

twV0xgb.png  Copa da Federação: Final – Jogo de volta

A proposta de jogo contra o Cornellà foi vista já no início do jogo de volta contra o Ponferradina, pela final da Copa. Com Daulmal suspenso, Ié foi jogar na lateral direita. Isso prejudicava quem precisava de gols, mas não na prática. Foi dos pés de Ié que surgiu o chute na trave de Arthuro, que gerou o rebote bem aproveitado por Nieto: 1 a 0, Hercules. Aos 28, Omgba perdeu a bola no meio campo, e após um lançamento Figueroa chutou da entrada da área de forma indefensável: 1 a 1.Aos 36, Arthuro acertou a trave novamente, e este foi o último lance agudo do primeiro tempo.

Sem nenhuma modificação, o Hercules viu os donos da casa levando algum perigo já nos minutos iniciais. Aos 6 minutos, Pena recebeu na ponta, tocou para trás para Gabriel Saoares, que entrava dentro da área,  que de primeira rolou para a marca de pênalti encontrando Flores que não desperdiçou: 2 a  1.

Aos 17, Buigues fez uma importante defesa. Momento em que Minaño entrou no lugar de Flores, e Omgba foi recuado para atuar a frente de sua defesa.

“O Munitis colocou o time deles no 4-3-3. Quando eu faço isso , eu sou chamado de louco, mas o 4-3-3 dele é chamado de ousadia. Tratei logo de colocar mais um jogador de meio-campo, trocando o meia atacante por um meia-central e recuando o Omgba, e assim tentar aproveitar os espaços deixados pela ousadia do Munitis.” – Fernando Nuñes, treinador do Hercules

A estratégia de Nuñes funcionou em parte, porém trazer o adversário para o seu campo deixava a defesa em maus bocados. Aos 45, Menuno acertou um belo chute no travessão, arrancando o grito do seu torcedor. Nos acréscimos, Nuñes fez duas substituições, deixando entender que queria que o tempo corresse. Quando o árbitro apitou o final do jogo, os jogadores foram comemorar diante dos 533 torcedores do Hercules que desde a conquista da segunda divisão espanhola, em 1996, não havia ganho mais nada.

fm foto 03

Pensando friamente agora, foi até melhor para nós ter passado pelo vexame de ser eliminado na primeira eliminatória da Copa do Rei. Não venceríamos mesmo aquela competição, então tá permitido comemorar sem vergonha nenhuma o título desta copa.” – Fernando Nuñes, treinador do Hercules

twV0xgb.png  O título simbólico

Terminada a Copa, o Hercules voltava sua atenção exclusivamente aos cinco jogos restantes da B3. Ao mesmo tempo em que almejava terminar na primeira colocação, a preocupação com a parte física dos jogadores fez com que o treinador iniciasse um rodízio, já pensando nos play-offs. Faltava combinar com os adversários para que nada desse errado. Contra o desesperado Prat, o time por pouco não voltou de mãos vazias.

Contra o Hospitalet, bastava apenas um ponto para garantir o Hercules na próxima fase da competição. Com boa atuação de Gaspar e Berrocal, o time de Alicante garantiu som sobras sua participação na fase final. Na partida seguinte contra o Ebro, um novo tropeço. Mesmo jogando melhor que os donos da casa, a falta de pontaria custou caro. Aquela altura a diferença para o segundo colocado Atlético Baleares caiu para dois pontos.

“Era impossível prever quando poderíamos perder, porque sempre que perdíamos era sempre para nós mesmos. Perdíamos quando chutávamos torto, perdíamos quando chutávamos certo, mas a bola não entrava, perdíamos jogando bem, ganhávamos jogando mal, enfim, era um imprevisibilidade incômoda.”– Fernando Nuñes, treinador do Hercules

O desabafo de Nuñes fez todo sentido quando sua equipe foi capaz de golear o Villareal por 4 a 0 e vencer a B3. Quando esperava-se um jogo difícil, o time deu espetáculo. O título do grupo foi comemorado, mas a promoção não. O Hércules despediu-se da fase de pontos corridos contra o Lleida Esportiu, em casa. Nuñes poupou titulares para o jogo final e viu seus comandados lutarem para empatar por 1 a 1.

FM Foto 04

twV0xgb.png  Os play-offs

O conhecido play-off preliminar ou Play-off dos Campeões reunia os quatro campeões de cada grupo. Os dois vencedores deste confronto semifinal já garantiriam sua participação na segunda divisão, fazendo uma final para definir quem conquistaria o título.

Os perdedores, por sua vez, não jogavam a toalha, pois teriam uma nova chance. No play-off que inicia com os três melhores de cada grupo, os seis vencedores ganham a companhia dos dois eliminados do play-off dos campeões para decidirem os outros dois clubes que subiriam de divisão.

Para chegar à Segunda Divisão, o Hercules precisava ser melhor que o Albacete Balompie que terminou o campeonato com 92 pontos, sete a mais que o segundo colocado e com apenas quatro derrotas. Um adversário de respeito. O primeiro jogo entre os dois semifinalistas será em Albacete.

FM foto 05

*Essa saga é narrada por Jirimias, um veterano membro da área de histórias de FM do FManager Brasil. Com mais de 10 anos de casa e muitos deles dedicados a narrar seus saves, ele é um dos membros mais importantes da área. Essa história e tantas outras são narradas no Profissão: Manager, a área dedicada do FManager Brasil para as pessoas que gostam de compartilhar seus saves de FM e é uma das áreas mais ativas e importantes do fórum. O FManager Brasil está no ar há mais de 12 anos, foi o primeiro fórum/site brasileiro a ser reconhecido como afiliado da Sports Interactive no país e é um dos maiores fóruns de FM do mundo, além de ser a principal referência do jogo em nosso país.