O Palmeiras entrou em campo para enfrentar o Guaraní, do Paraguai, nesta quarta-feira, com 16 jogos de invencibilidade. Oito vitórias e oito empates. A sequência seguiu em frente com o empate por 0 a 0, que encaminha, mas não garante a vaga nas oitavas de final da Libertadores, agora com mais igualdades do que triunfos, talvez de acordo com o que o time tem sido desde aquela derrota para o Corinthians, em julho.

Uma defesa muito forte, que na primeira hora da partida praticamente anulou os paraguaios, e um ataque sem ímpeto, organização ou inspiração, que de vez em quando cria alguma coisa, de vez em quando não cria nada. Nesta quarta-feira, foi a segunda situação, em parte porque o Palmeiras, no geral, foi um time apenas esperando o tempo terminar – como a maioria das pessoas que estava assistindo ao jogo.

O Palmeiras teve apenas um chute perigoso de fora da área de Gabriel Menino, para boa defesa do goleiro Gaspar Servio no primeiro tempo, e um par de cabeçadas de Felipe Melo. O Guaraní chegou basicamente quando o adversário vacilou. Nos primeiros minutos, Morel desviou por cobertura um cruzamento, na entrada da área, mas Weverton se recuperou para conseguir espalmar. Na marca da meia hora, Fernando Fernández carregou a bola até a entrada da área, ninguém o pressionou e seu chute acertou a trave do goleiro palmeirense, que reclamou bastante com sua defesa.

Na metade final do segundo tempo, o Guaraní teve chances claras de arrancar a vitória contra o Palmeiras. Rodney Redes cruzou da direita e Morel pegou de primeira na marca do pênalti. Weverton fez uma grande defesa. O rebote ficou com Cecilio Domínguez, em posição de impedimento que o livrou de explicar porque chutou para trás.

Depois, após vacilo de Ramires na saída de bola, Fernández avançou em contra-ataque pelo meio e abriu com Domínguez, que chutou cruzado, muito rente à trave. Gustavo Gómez teve inteligência para deixar a bola passar entre as suas pernas, para fora, e evitou o gol contra.

O Palmeiras está praticamente classificado às oitavas de final da Libertadores, com seis pontos de vantagem para o Bolívar, com vantagem de seis gols no saldo, mas confirmará a vaga com pelo menos um empate na próxima quarta-feira, contra os bolivianos, em casa. Fecha a campanha em 21 de outubro, também como mandante, diante do Tigre.

.