Christophe Galtier, técnico do Lille, fez toda sua carreira como jogador nos anos 1980 e 1990, uma era que, como todos sabem, não havia redes sociais e em que ali, sim, o povo sabia como viver. Galtier não pode voltar a esse saudoso tempo, mas ao menos quer recriar uma versão dele nos vestiários ao proibir o uso de smartphones antes de partidas. Para o técnico de 53 anos, os celulares são “a heroína dos anos 2020”.

Em entrevista coletiva nesta quinta-feira (6), Galtier anunciou a nova medida em tom alarmista. “Estamos em uma geração, e uma sociedade, em que existe um terrível vício em telas, redes sociais e aplicativos. É a heroína dos anos 2020. Leio muito, converso muito e estou convencido de que existe um vício nessas telas, que podem causar cansaço ou problemas na concentração e preparação das partidas.”

A regra no Lille é: uma hora antes do apito inicial, por volta de 25 minutos antes do aquecimento, o uso de smartphones ou outros tipos de dispositivos de tela não é mais admitido no vestiário.

“Tenho quase certeza que haverá uma evolução maior nas próximas temporadas, porque, a partir do momento em que há acesso aos vestiários, não há mais acesso às telas”, projetou Galtier, esperançoso.

Ainda com muito tempo pela frente em sua carreira, Galtier está se encaminhando rumo a certa frustração se acha que irá vencer a guerra contra os dispositivos. Sua melhor chance é se a realidade virtual vingar rapidamente e nem precisarmos mais de telas daqui a alguns anos.