A Copa do Brasil chega às quartas de final cheia de expectativas. Afinal, as mudanças recentes na competição ajudaram a valorizar a conquista, e a partir das oitavas de final o nível dos jogos aumenta bastante. Ainda mais nas quartas, quando as equipes já passaram pelo primeiro grande desafio. É assim com os oito concorrentes que restam. Por mais que o Brasileiro siga como objetivo importante, não dá para menosprezar tudo o que a Copa do Brasil oferece. Em especial, a chance de terminar o ano campeão.

VEJA TAMBÉM: Esses são os confrontos das quartas de final da Copa do Brasil

Com o sorteio desta segunda, o chaveamento do torneio se tornou conhecido. E os jogaços ganharam contorno. Abaixo, relembramos o passado para dizer como os quatro duelos têm boas condições de serem ótimos. Resgatamos uma vitória histórica de cada lado, e não necessariamente pelo peso que tiveram para o clube. Não necessariamente em conquistas, mas pela emoção que marcaram grandes momentos de Santos, Figueirense, Fluminense, Grêmio, Internacional, Palmeiras, Vasco e São Paulo. Assista:

Palmeiras x Internacional

Brasileiro de 1979 – Palmeiras 2×3 Internacional

O Palmeiras entrou apenas nas fases finais do Brasileiro de 1979, mas entrou voando. O time de Telê Santana vivia excelente momento e chegou a golear o Flamengo de Zico por 4 a 1. E o duelo com o Internacional tinha peso especial, com os dois bicampeões brasileiros buscando a alcunha de “melhor da década de 1970” nas semifinais do Brasileirão. Os alviverdes estiveram duas vezes em vantagem no Morumbi, mas os colorados buscaram a virada por 3 a 2, com dois golaços de Falcão, em atuação memorável. Depois do empate por 1 a 1 no Beira-Rio, o time de Ênio Andrade selaria a conquista na final contra o Vasco.

Brasileiro de 1973 – Palmeiras 2×1 Internacional

Enquanto o Inter via o timaço de Rubens Minelli ganhar força, o Palmeiras reinava com a Academia de Oswaldo Brandão. E bater os colorados foi um dos passos fundamentais aos alviverdes para o título do Brasileiro em 1973. Figueroa abriu o placar no Morumbi logo aos cinco minutos, mas Luís Pereira foi buscar a virada aos 35 do segundo tempo. O triunfo deixou a situação na fase final bastante cômoda aos palmeirenses, segurando o empate por 0 a 0 com o São Paulo na rodada decisiva para comemorar a conquista.

São Paulo x Vasco

Brasileirão de 2002 – São Paulo 5×3 Vasco

O São Paulo não terminou como queria o Brasileiro de 2002, eliminado pelo Santos nas quartas de final. Contudo, o Tricolor fez uma fase de classificação praticamente impecável. Que teve um dos momentos de maior força contra o Vasco, na 26ª rodada. Luis Fabiano viveu um de seus melhores jogos pelo clube, marcando três gols na virada por 5 a 3, em um time que ainda contava com Kaká voando. Já o destaque do Vasco foi Ramon Menezes, com dois gols que botaram pressão sobre os paulistas.

Copa do Brasil de 1998 – Vasco 4×3 São Paulo

O duelo valia também pelas quartas de final da Copa do Brasil. E, depois do empate por 1 a 1 no Morumbi, Vasco e São Paulo decidiriam a vaga em São Januário. O palco de um jogaço, mesmo sem ser muito lembrado. O Tricolor acabara de conquistar o Paulistão de 1998, com Raí em ótimo momento, e se despedia de Denílson após vendê-lo ao Betis. Nada suficiente para brecar o esquadrão do Vasco, que conciliava o torneio nacional com a Libertadores naquele momento. O Cruzeiro eliminou os cruzmaltinos na Copa do Brasil, mas ninguém conseguiu tirar o título continental das mãos do capitão Mauro Galvão.

Grêmio x Fluminense

Brasileirão de 2011 – Fluminense 5×4 Grêmio

Restando quatro rodadas para o fim da competição, o Fluminense ainda sonhava com o bicampeonato brasileiro, perseguindo o Corinthians. Já o Grêmio fazia uma campanha de meio de tabela, não almejando nada além do que a vaga na Copa Sul-Americana. Mesmo assim, o Engenhão recebeu um jogo memorável naquela tarde. O clube gaúcho esteve duas vezes em vantagem, mas permitiu a virada dos cariocas no começo do segundo tempo. Que, por outro lado, também vacilaram e viram os gremistas abrirem 4 a 3 aos 31 do segundo tempo. Só que o dia era de Fred. E, chegando a quatro gols no jogo, buscou a terceira virada no marcador e o triunfo inesquecível para o Flu.

Brasileirão de 1996 – Grêmio 4×2 Fluminense

Os dois clubes viveram sensações distintas no Brasileiro de 1996. Enquanto os gremistas ganharam impulso ao bicampeonato nacional, os cariocas sofreram o primeiro rebaixamento, revertido no tapetão. Mesmo assim, fizeram um jogo movimentado no Olímpico. O Flu abriu o placar e deu um susto, contando com belos gols de Valdeir e Paulo Roberto. Só não deu para segurar o Grêmio de Felipão, que balançou as redes com Zé Alcino, Luiz Carlos Goiano e Dinho. O jogo a cinco rodadas do fim da fase de classificação ajudou a selar os destinos das duas equipes.

Santos x Figueirense

Brasileirão de 2005 – Santos 4×3 Figueirense

Parecia que o Santos daria um passeio na (primeira) despedida de Robinho da Vila Belmiro, após sua venda ao Real Madrid. Élton até abriu o placar para o Figueira, mas o Peixe tratou de dar o show com quatro gols seguidos. Giovanni e o próprio Robinho comandaram o passeio santista. No entanto, os catarinenses reagiram no segundo tempo e botaram pressão sobre os anfitriões. Michel Bastos e Edmundo mantiveram a honra dos alvinegros, que ganhariam o reencontro no segundo turno dentro do Orlando Scarpelli.

Brasileirão de 2004 – Figueirense 2×1 Santos

Era apenas a terceira rodada da competição, mas o duelo teve seu papel simbólico. A torcida do Figueirense lotou as arquibancadas e comemorou a vitória sobre um dos favoritos ao título. Robinho até empatou o placar depois do gol de Fernandes, mas uma cobrança de falta potente de Sergio Manoel deu a vitória aos catarinenses. Mais do que isso, a equipe pôde desfrutar da liderança do campeonato. Mas quem riu por último foi mesmo o Peixe, conquistando o seu segundo título do Brasileiro (antes da unificação).