Martin Odegaard é um daqueles jogadores que apareceu muito novo ao futebol. Ainda com 16 anos, foi contratado pelo Real Madrid e, como não explodiu imediatamente, muitos acharam que ele nunca explodiria. Não é bem assim. O norueguês continua muito jovem e, depois de uma boa passagem pela Holanda, está sendo um dos destaques do Campeonato Espanhol pela Real Sociedad, que enfrenta o Real Madrid, no próximo sábado.

Odegaard ainda é dúvida para enfrentar a equipe com a qual mantém vínculo – está emprestado à Real Sociedad – por causa de uma lesão que o tirou das últimas duas rodadas, depois de ter sido titular em todas as anteriores. Afirmou que enfrentar o Real Madrid será especial e que não comemoraria se marcasse um gol, e que o seu objetivo, ao fim da cessão temporária de dois anos ou mais tarde, é vencer com a lendária camisa branca.

“É minha meta: vencer no Real Madrid. Por isso, assinei com o Real Madrid. Mas, agora, estou muito contente aqui. Não tenho pressa. Seja em dois ou cinco anos, dá no mesmo. O tempo não me importa, mas, um dia, claro que quero jogar no Real Madrid”, disse, em entrevista ao jornal AS. “No futebol nunca se sabe o que acontecerá, mas a ideia é ficar aqui os dois anos”.

Odegaard foi questionado sobre os brasileiros Vinicius Júnior e Rodrygo que, ainda mais jovens do que ele, estão sendo utilizados por Zinedine Zidane. O norueguês não quis tecer comparações, elogiou a qualidade de ambos e disse que nunca teve medo de não conseguir mostar seu futebol por ter estreado ainda muito jovem, em 2015, aos 16 anos.

“Sei que eles têm muita qualidade. São muito bons e estão preparados para jogar”, afirmou. “A minha experiência foi boa porque acredito que é muito difícil jogar no Real Madrid aos 16 anos, embora, com 20, continue sendo muito complicado. Mas tudo isso está sendo bom para mim. Estive muito tranquilo. As pessoas, a imprensa, e todas essas coisas não me importam. Penso apenas no meu jogo, estou feliz onde estou e com minha evolução, e isso não me preocupa”.

Depois de um tempo no Castilla, time B do Real Madrid, Odegaard teve a chance de jogar com frequência pelo Heerenveen e pelo Vitesse, ambos da Holanda, antes de chegar à Real Sociedad. “O mais importante para os jovens é jogar e foi isso que eu tive ali. E também um pouco de responsabilidade”, disse. “Eu me sinto muito bem aqui. Eu me sinto em casa. (San Sebastián) É muito amável e simpática e tem sido fácil vir aqui com o time. Estou muito feliz aqui. É uma cidade muito bonita”.

Odegaard falou que se inspira em David Silva e gosta de jogar na mesma posição: no meio-campo, um pouco mais à direita. “Vi muito do seu jogo porque ele tem um estilo muito parecido ao meu”, afirmou. “Essa é minha posição favorita. Na Holanda, joguei pelo lado direito e é parecido, mas um pouco mais para o meio consigo tocar na bola um pouco mais, e é isso que eu gosto”.

Uma vitória faria com que a Real Sociedad superasse o Real Madrid, com possibilidade, muito remota, de chegar à liderança (Sevilla, Atlético de Madrid e Barcelona teriam que tropeçar). No momento, o clube basco está em quinto lugar, campanha para a qual Odegaard contribuiu com dois gols e três assistências em 11 rodadas.