Obina é o mais conhecido dos ex-palmeirenses rebaixados no Japão

Dois times, quatro jogadores: conheça os brasileiros que defenderam o Palmeiras e, nesta temporada, não escaparam do descenso na J-League

A situação atual do Palmeiras não é nem de perto a imaginada pelo torcedor quando da introdução da parceria, apesar do estádio de primeiro mundo e de um diretor de futebol que começou muito bem (Alexandre Mattos é cria do América Mineiro, ex-clube de Vitor Hugo, Andrei Girotto e Thiago Santos).

Porém, o palmeirense há de concordar que o momento é muito melhor do que há dois anos, quando sua realidade era a Série B, cujo título foi levantado em 2013. Mas se Palmeiras e segunda divisão não têm mais nada a ver diretamente, ainda é possível unir os dois substantivos ao abordar as carreiras de quatro ex-jogadores do Palmeiras.

VEJA TAMBÉM: Foram tantos passeios nas Eliminatórias asiáticas que o placar ficou em 64×4 aos vencedores

O folclórico atacante Obina, o veloz e atrapalhado meia-atacante Willians, o zagueiro/volante maluco Alceu e o Diego Souza genérico (isso, não é o do Sport Recife) são os personagens que relembram a antiga – e recente – associação de palavras. Todos eles atuaram no Campeonato Japonês 2015, mas nenhum teve algo a comemorar.

Atletas de Montedio Yamagata e Matsumoto Yamaga, os quatro jogadores não conseguiram evitar o rebaixamento de suas equipes e devem estar loucos por um novo contrato bem longe da segunda divisão japonesa. Veja como foi a temporada de cada um deles.

Montedio Yamagata

Campanha: 17ª posição, com 24 pontos em 33 jogos (quatro vitórias, 12 empates e 17 derrotas).

Ataque e defesa: 24 gols a favor e 49 contra (-25 de saldo).

A equipe veio da segunda divisão (foi sexta colocada, mas venceu os playoffs) e comemorou poucas vezes na elite de 2015. O Montedio Yamagata venceu Kawasaki Frontale (1 a 0 na 3ª rodada), Yokohama Marinos (1 a 0 na 9ª rodada), Kashiwa Reysol (3 a 0 na 11ª rodada) e Shonan Bellmare (1 a 0 na 30ª rodada), apenas o último fora de casa.

Foram 18 partidas seguidas sem vencer, e, a uma rodada do fim, a equipe está nove pontos atrás do primeiro time fora da degola, podendo findar a temporada na lanterna, apesar da vantagem no saldo de gols (-25 contra -28) sobre o Shimizu S-Pulse.

Diego Souza, 31 anos

Revelado no Palmeiras, o jogador curiosamente participou e foi um dos destaques do título do alviverde na Série B 2003, passou rapidamente pelo Joinville e, desde 2005, defende times japoneses, com exceção de 2012 e 2013, quando jogou por Portuguesa e América de Natal.

Diego Souza foi o destaque dos brasileiros citados no texto, com 11 gols em 36 jogos na temporada, sendo responsável pelas vitórias sobre Shonan Bellmare (gol dele) e Kashiwa Reysol (dois dos três gols). Na liga, Diego Souza jogou 33 partidas, todas como titular, e marcou dez vezes. Ele também foi titular na campanha da segunda divisão de 2014.

Alceu, 31 anos

Revelado nas categorias de base do Palmeiras, chegou a defender a seleção brasileira sub-17, mas nunca se firmou nos profissionais do Alviverde por causa da violência com a qual desarmava os jogadores, incluindo no leque de recursos tesouras, carrinhos e até uma voadora em briga durante a Copa Libertadores. Curiosamente, Alceu jogou 21 partidas na Série B de 2003 e marcou três gols, somando um total de 123 partidas pelo Palmeiras e seis redes balançadas.

Rumou ao Japão com esperanças de conduzir o meio-campo das equipes asiáticas, mas não era possível tanta responsabilidade. Alceu ainda defendeu Grêmio Prudente, Marília (foi dispensado em 2012 após ser flagrado comprando cerveja e carne em um supermercado) e Remo, até que chegou ao Montedio Yamagata. Fez dois gols em 32 jogos na liga japonesa.

Matsumoto Yamaga

Campanha: 16ª posição, com 27 pontos em 33 jogos (sete vitórias, seis empates e 20 derrotas).

Ataque e defesa: 30 gols a favor e 54 contra (-24 de saldo).

A campanha do Matsumoto Yamaga foi melhor, apesar de a equipe também ter vindo da segunda divisão (em que foi vice-campeã). A primeira vitória na temporada aconteceu na terceira rodada (1 a 0 sobre o Shimizu S-Pulse), e após 12 jogos o time tinha apenas três triunfos (2 a 0 sobre Vissel Kobe e Ventforet Kofu completando a relação de vitórias).

Porém, o que matou a campanha da equipe foram as derrotas seguidas: sete (entre a 13ª e a 19ª rodadas) e quatro (entre a 22ª e a 24ª rodadas), separadas por duas vitórias, contra Kashima Antlers e Ventforet Kofu. A sétima e última vitória na liga foi diante do Shimizu S-Pulse, a cinco jogos do fim. Com 27 pontos, o Matsumoto Yamaga ficou a seis de sair da degola.

Obina, 32 anos

O folclórico atacante baiano, revelado no Vitória e ídolo às avessas do Flamengo, teve duas passagens pelo Palmeiras. Na primeira, Obina foi bem, marcando 12 gols em 29 jogos, em 2009. Estava emprestado pelo Flamengo, mas acabou dispensado pelo Alviverde após briga com o goleiro Maurício, companheiro de time. Já na segunda passagem, em 2012, Obina só fez três gols em 28 partidas e contribuiu para a queda do Palmeiras à Série B 2013, sendo dispensado ao final do ano. Seu empréstimo ao Shandong Luneng (China) custou R$ 625 mil.

Até que no Campeonato Japonês Obina foi bem, marcando seis vezes em 31 jogos, 29 deles como titular. Evidentemente, o acúmulo de peso deve tê-lo atrapalhado na hora de balançar as redes, pois Obina já havia perdido vários gols fáceis na Série B 2014 com o América Mineiro. Será que Manuel de Brito Filho ficará no Japão por mais um ano?

Willians, 27 anos

O veloz meia-atacante Willians começou e se destacou no Vitória, o que o levou ao Palmeiras em 2009, junto com o meia Marquinhos, ambos destaques dos baianos no Brasileirão 2008. Aos 20 anos, ele foi trocado por cinco atletas, emprestados ao time nordestino, e jogou Libertadores, Paulistão e Brasileirão, sendo titular em 23 dos 35 jogos que disputou, com três gols. Só que seu rendimento não foi o esperado, o empréstimo acabou, e Willians ainda passou por Fluminense e Sport Recife, sendo mais criticado do que elogiado, já que geralmente carregava a bola em velocidade, mas a perdia no ataque. Estava treinando em separado no Sport aos 24 anos, quando foi para o América Mineiro, ganhando destaque na Série B em 2013 e 2014.

Willians começou a temporada de 2015 no Bahia, mas foi reserva a maior parte do tempo. Mesmo assim, o Matsumoto Yamaga o contratou em agosto e ainda pagou um valor não revelado para o Bahia liberá-lo de imediato. Pena que Willians só atuou três vezes, uma como titular, não dando tempo de salvar o Matsumoto Yamaga da queda.

Curtas

– O Matsumoto Yamaga teve outro brasileiro no elenco: o meia-atacante Eric Pereira, 29 anos, começou no Metropolitano (Santa Catarina), mas se destacou mesmo no Gaz Metan Medias (Romênia). Entretanto, ele sequer entrou em campo pelo time japonês. O volante Doriva (Figueirense e América Mineiro) também esteve na equipe, mas atuou por apenas 18 minutos.