As boas campanhas do Red Bull Salzburg na Liga Europa alavancaram o coeficiente da Áustria no Ranking da Uefa. A Bundesliga Austríaca ocupa o 12° lugar na lista, o que garante uma vaga direta na Liga dos Campeões, um lugar nas preliminares ao vice-campeão e também um time na fase de grupos da Liga Europa. O país saltou dez posições nos últimos 12 anos e a tendência é que o crescimento continue. Afinal, outras equipes austríacas fazem bom papel. E o pequeno Wolfsberger, novato nas competições continentais, teve uma estreia estrondosa nesta quinta-feira. Os azarões encaravam uma missão difícil, visitando o Borussia Mönchengladbach na Alemanha. Voltaram para casa com uma inacreditável goleada por 4 a 0.

Fundado em 1931, o Wolfsberger está localizado em uma cidade de 25 mil habitantes no sul da Áustria. O clube vagou nas divisões de acesso durante a maior parte de sua história, até viver um salto competitivo nesta década. Sua estreia na Bundesliga aconteceu em 2012 e, desde então, os Lobos crescem de rendimento. Entre as explicações para o sucesso está o apadrinhamento de uma companhia local de biocombustíveis, que passou a patrocinar o clube a partir de 2014. Os novatos começaram a se meter entre os grandes e até se classificaram às preliminares da Liga Europa em 2015/16, atropelados pelo Borussia Dortmund na tentativa de classificação.

Na última temporada, aproveitando o momento ruim de alguns dos principais clubes do país, o Wolfsberger alcançou uma histórica terceira colocação na Bundesliga. E, com a ajuda do coeficiente elevado pelo Red Bull Salzburg, se classificou diretamente à fase de grupos. Seria a chance de ganhar mais fôlego financeiro e também ganhar uma vitrine internacional.

De certa maneira, o Wolfsberger também se beneficiou da “escola” da Red Bull na Bundesliga Austríaca. O atual técnico dos Lobos é Gerhard Struber, que trabalhou nas categorias de base dos Touros Vermelhos e também dirigiu o Liefering, que serve de filial ao Salzburg. Trabalhou inclusive com Marco Rose, o atual treinador do Borussia Mönchengladbach – que, por vias tortas, levou os oponentes tão longe no torneio continental. Era ele o comandante do Salzburg quando a equipe chegou às semifinais da Liga Europa em 2017/18.

Dentro de campo, porém, o Wolfsberger não demonstrou qualquer vestígio de gratidão a Rose. Ainda no primeiro tempo, os austríacos marcaram três gols no Borussia-Park. O Gladbach teve muitas dificuldades nas bolas aéreas e dois cruzamentos permitiram os primeiros gols dos Lobos, com Shon Weissman e Mario Leitgeb. Antes do intervalo, Marcel Ritzmaier fez o terceiro em contra-ataque. Já o quarto tento veio aos 22 da segunda etapa, em mais uma cabeçada de Leitgeb. O golpe final para deixar atônitos os alemães.

O mais interessante do Wolfsberger é que o clube possui um elenco formado basicamente por jogadores austríacos. Há apenas quatro atletas de outras nacionalidades. Além disso, alguns nomes possuem rodagem nas seleções de base, sobretudo do meio para a frente. A impressão é de que o sucesso pode gerar boas vendas e, assim, manter um ciclo de força dos Lobos na Bundesliga. Ainda estão distantes de competir com o Red Bull Salzburg, mas dá para almejar outras participações continentais. Na atual temporada, o time ocupa a terceira colocação.

O Wolfsberger divide a liderança do Grupo J da Liga Europa, ao lado da Roma. Depois da surpresa, perseverar em busca da classificação não será tão simples, em chave que também possui o Istambul Basaksehir. A Áustria, de qualquer maneira, continua bem representada em outra frente. Também estreante na fase de grupos, mas com participações nas copas europeias desde os anos 1960, o LASK Linz venceu nesta primeira rodada. Anotou 1 a 0 sobre Rosenborg, em chave que conta ainda com PSV e Sporting. São esperanças de alavancar um pouco mais o coeficiente, que desta vez terá o impulso do Salzburg na Champions.