Maxi Gómez se firmou como um dos melhores centroavantes do futebol espanhol nas últimas duas temporadas. O jovem uruguaio caiu como uma luva no Celta de Vigo, não apenas por seus gols anotados, mas pela contribuição ao coletivo e pela maneira como abre espaços. Já parecia claro que seu tempo em Balaídos não duraria tanto, com outros clubes maiores de olho em seu futebol. O salto acontecerá rumo ao Mestalla. Neste domingo, o Valencia anunciou a contratação do atacante, que terá a chance de disputar a Liga dos Campeões e oferecerá ainda mais presença ofensiva ao time de Marcelino García Toral.

A transferência de Maxi Gómez ao Valencia custou €14,5 milhões. O Celta multiplicou praticamente por quatro o investimento inicial feito no uruguaio, que despontou com a camisa do Defensor. E o negócio teve outros desdobramentos. Na direção contrária, Santi Mina faz suas malas rumo a Vigo. Cria do próprio Celta, o jovem não causou o impacto esperado em seus quatro anos com os valencianos. Volta para o antigo clube a custo zero, em transação que serviu para abater o valor de Gómez, cuja cláusula rescisória estava estipulada em €50 milhões.

Além do Valencia, o West Ham também sentou na mesa de negociações para contratar Maxi Gómez. Os ingleses ofereceram €32,5 milhões por sua transferência. Pesou também o interesse do uruguaio em permanecer na Espanha e disputar a Champions. Ele assinou com o Valencia até 2024. Agora, a multa para tirá-lo do Mestalla chega a €140 milhões. Poderá construir sua história na nova equipe.

Em duas temporadas no Campeonato Espanhol, Maxi Gómez registrou bons números. O jovem de 22 anos não teve problemas de adaptação e logo ganhou a posição como titular, acumulando gols. Balançou as redes 19 vezes em 2017/18, enquanto anotou mais 13 tentos em 2018/19. A queda de desempenho, porém, também se explica pela campanha claudicante do Celta – que correu riscos de rebaixamento até as últimas rodadas da liga passada. Solidário, o uruguaio serviu dez assistências em 71 aparições pela competição.

O bom porte físico de Maxi Gómez garante novas possibilidades ao Valencia. O uruguaio possui 1,86 m, aproveitando-se muito bem da estatura para ganhar bolas pelo alto e levar perigo com suas cabeçadas. Também ajuda bastante no trabalho de pivô, abrindo brechas aos companheiros. Além do mais, tem um bom trato com a bola, dentro de seus limites. É um centroavante que agrega não só por seu poder de fogo, e sim por aquilo que ajuda ao sistema. Considerando a frente dupla dos valencianos, entre La Liga e Champions, há boas opções no ataque para Marcelino encaixar.

A contratação de Maxi Gómez é o segundo negócio de peso realizado pelo Valencia, após comprarem Jasper Cillessen junto ao Barcelona. Por enquanto, o clube preserva a base de seu elenco e faz trocas pontuais. Parece agregar qualidade ao que já tem à disposição, para buscar campanhas mais regulares. O crescimento na reta final de La Liga já havia trazido boas perspectivas, que se ampliam com os negócios.

*****

Estamos também no YouTube! Confira nosso último vídeo e se inscreva no canal para fortalecer o jornalismo esportivo independente em mais um meio: