Outra vez, o Manchester United esteve muito aquém de honrar o renome de seu elenco. Os Red Devils dominaram a partida contra o Queens Park Rangers, mas a vitória por 2 a 0 na visita a Londres não representa muito os anseios da equipe, sobretudo contra um adversário na zona de rebaixamento da Premier League. Louis van Gaal garantiu os três pontos, que mantém os mancunianos no Top Four. No entanto, teve que lidar com uma das cornetadas mais criativas dos últimos tempos: enquanto o placar ainda estava zerado, os visitantes gritaram um “Four-four-two” nas arquibancadas de Loftus Road, sugerindo a mudança do esquema tático.

LEIA MAIS: Parecia Brasil x Alemanha, mas era só o Chelsea sapecando o Swansea

Em uma partida na qual o United não teve muitos problemas para controlar o meio-campo, o problema maior esteve na criatividade. Mesmo com menos posse de bola, o QPR finalizou mais vezes do que o United. David De Gea precisou reiterar sua excelente fase com uma grande defesa, em chute de fora da área de Charlie Austin. Já do outro lado, quem decepcionava era Falcao García, mais uma vez.

Apesar dos rumores de que estaria descontente com sua situação em Manchester, El Tigre apareceu no time titular. Mas a principal referência no ataque só mostrou que, quando a fase é ruim, não há esforço que ajude. O colombiano teve pelo menos três grandes oportunidades de marcar. Em duas, parou no contestável Robert Green. Na outra, quando o placar já estava aberto, furou uma bola limpa dentro da área.

Ao final do primeiro tempo, quando o placar estava zerado, a torcida do United não aguentou. Por mais que o 3-5-2 não fosse necessariamente o problema da improdutividade do time, os Red Devils passaram a pedir o esquema tático consagrado com Alex Ferguson. Na volta do intervalo, Van Gaal mandou Fellaini a campo no lugar de Juan Mata. E, coincidência ou não, o gol da vitória saiu justamente a partir do momento em que o treinador passou a jogar no 4-4-2. Aos 12 minutos, o holandês sacou o zagueiro Jonny Evans para a entrada do atacante James Wilson. Dois minutos depois, recuado ao meio-campo, Rooney iniciou a jogada que terminou no tento de Fellaini, fuzilando dentro da área.

Não que o United tenha melhorado depois disso. O QPR até teve a chance de empatar, em um contra-ataque desperdiçado por Eduardo Vargas. Já nos acréscimos, quando os londrinos pressionavam, James Wilson aproveitou um contra-ataque para fechar o placar, no rebote de mais uma boa defesa de Green.

Com o triunfo, o Manchester United chega a 40 pontos, assumindo provisoriamente a terceira posição – embora possa ser ultrapassado pelo Southampton, que visita o Newcastle. Mas, acima do resultado, a questão maior continua sobre a forma como o time joga. As oscilações não agradam a torcida, principalmente depois dos quatro tropeços que os Red Devils tiveram nos cinco jogos anteriores. E por mais que a fase de Falcao, Di María e outros craques não ajude muito, o peso vai continuar caindo sobre o treinador que não encontra a sintonia perfeita para fazer o time retomar o embalo de um mês atrás.