Única seleção de seu continente a avançar para os mata-matas da Copa do Mundo de 2018, o Japão é um natural favorito ao título da Copa da Ásia. Não apenas o desempenho recente referenda os nipônicos, como também o histórico de quatro títulos em oito participações no torneio impõe respeito. Os Samurais Azuis passaram por amplas mudanças desde o Mundial da Rússia, incluindo a chegada do técnico Hajime Moriyasu e a aposentadoria de velhos ídolos do país. Além do mais, o treinador também promove uma renovação, sem chamar todos os medalhões à disposição. E sofrendo com problemas de lesão, tenta formatar este novo Japão rumo às fases decisivas. Sofreu na estreia, mas venceu. Contra o Turcomenistão, adversário mais fraco de seu grupo, os japoneses precisaram se empenhar para buscar a virada por 3 a 2.

Contra um adversário disposto a se fechar na defesa, o Japão demorou a engrenar na partida. Teve dificuldades para criar ocasiões no primeiro tempo e acabou permitindo que o Turcomenistão abrisse o placar. Após uma roubada de bola de sua equipe, Arslanmyrat Amanow recebeu na intermediária e arriscou um tirambaço. Anotou uma pintura com sua bomba, embora o chute no meio do gol tenha dado a impressão de que o goleiro Shuichi Gonda pudesse fazer melhor. Além disso, os turcomenos poderiam mesmo ter ampliado antes do intervalo. Dentre os poucos pontos positivos aos nipônicos, mais uma vez, estava a cadência de Gaku Shibasaki pelo meio.

 

No segundo tempo, enfim, o Japão acordou para o jogo. Contou com a participação intensa de Genki Haraguchi e Yuto Nagatomo pelo lado esquerdo, caminho que possibilitou a virada antes dos 15 minutos. Além disso, o centroavante Yuya Osako fez a diferença. Anotou o primeiro com uma finta seca no marcador dentro da área e foi oportunista para assinalar o segundo. Já aos 26 minutos, aconteceu o terceiro, em chute desviado de Ritsu Doan – principal promessa desse elenco nipônico. Aos 34, o Turcomenistão descontou depois de um cochilo da zaga, em lance que ocasionou o pênalti convertido por Ahmet Atayew. Mas os Samurais Azuis seguraram o resultado.

O Japão aparece na liderança do Grupo F da Copa da Ásia, com os mesmos três pontos do Uzbequistão. Principais adversários dos japoneses, os uzbeques também precisaram de uma dose de sofrimento nesta primeira rodada: derrotaram Omã por 2 a 1, com um gol no finalzinho. O time abriu o placar no primeiro tempo, em cobrança de falta rasante de Odil Akhmetov, mas cedeu o empate aos 27 da segunda etapa, quando a zaga parou e Muhsen Al Ghassani não perdoou. O tento decisivo aconteceu aos 40, em uma grande jogada individual de Eldor Shomurodov, que havia saído do banco. O centroavante deixou dois marcadores na saudade e chutou rasteiro, contando com a colaboração do goleiro antes de correr para o abraço.

Por fim, a quarta também concluiu o Grupo E, pelo qual a Arábia Saudita havia goleado a Coreia do Norte. O Catar também somou três pontos ao derrotar por 2 a 0 o Líbano, uma das surpresas das eliminatórias. No entanto, o resultado contou com o auxílio providencial (e um tanto quanto escandaloso) da arbitragem. Durante o primeiro tempo, Ali Hamam abriu o placar aos libaneses. O tento gerou uma comemoração efusiva, símbolo da importância do lance. Só que o árbitro viu uma falta bastante discutível e, depois de toda a euforia, resolveu anular o tento. O VAR só funcionará a partir das quartas de final. Já no segundo tempo, os oponentes buscaram o resultado. Aos 20 minutos, Bassam Hisham deixou sua marca cobrando falta, em tiro forte no meio do gol. E 14 minutos depois Almoez Ali concluiu o triunfo, aproveitando o rebote do goleiro, após contra-ataque muito bem encadeado.


Os comentários estão desativados.