O Tottenham disputou sua segunda partida sob as ordens de José Mourinho nesta terça, mas já parecia propenso às críticas. Afinal, o Olympiacos precisou de poucos minutos para abrir dois gols de diferença em Londres e soar a crise enfrentada pelos Spurs. No entanto, o que ficou do jogo na Inglaterra foi mesmo a reação do time da casa. Com seus destaques chamando a responsabilidade, a equipe se recuperou. Descontou no fim do primeiro tempo e construiu a virada após o intervalo. O Tottenham não empolgou, mas conquistou a vitória por 4 a 2, que confirmou a classificação antecipada às oitavas de final da Champions League.

O Olympiacos começou a partida de maneira atrevida e se aproveitou da falta de concentração da defesa do Tottenham. Entre as boas chances criadas, os alvirrubros anotaram dois gols em menos de 20 minutos. O primeiro veio aos seis, quando Youssef El-Arabi cortou a marcação e chutou de fora da área, mandando no cantinho. Logo na sequência, os Spurs tentaram reagir e começaram a pressionar no ataque, mas viram o goleiro José Sá salvar. Porém, também sobraram espaços aos contra-ataques e, assim, surgiu a chance para o segundo tento grego aos 19. Após uma cobrança de escanteio, Guilherme desviou no primeiro pau e Ruben Semedo completou dentro da área, livre de marcação.

Com dois gols de desvantagem, o Tottenham precisava de calma para construir o resultado. Não era o que se via na sequência do primeiro tempo. Os Spurs se mostravam tensos demais e erravam muitas jogadas. O Olympiacos parecia propenso a anotar até mesmo o terceiro. Enquanto isso, Mourinho não demorou a realizar sua primeira alteração, mandando Christian Eriksen para o lugar de Eric Dier aos 29 minutos. Nada que tenha ajudado tanto assim de início. O primeiro gol dos londrinos veio muito mais num lance de sorte. Serge Aurier cruzou, Yassine Meriah furou e Dele Alli ficou com o trabalho fácil de só mandar para dentro.

O Tottenham cresceu mesmo no segundo tempo. Para tanto, foi essencial o rápido gol de empate, anotado aos quatro minutos. O lance começou com o gandula, que entregou a bola ligeira a Aurier. O marfinense cobrou logo o lateral e lançou Lucas Moura pela direita. Então, o brasileiro também teve méritos ao avançar e realizar o cruzamento na medida para Harry Kane, pronto para fuzilar. A curiosidade ficou a Mourinho, que caminhou até o gandula e o abraçou para agradecer o serviço prestado.

A torcida em Londres se empolgava com a reação da equipe e fazia barulho. A situação não era exatamente tranquila, com chegadas do Olympiacos. Todavia, o Tottenham cresceu e abriu o caminho da vitória aos 28. Créditos a Aurier, que premiou a ótima partida que fazia até então. Dele Alli cruzou da esquerda, Son desviou no meio do caminho e Aurier apareceu livre no segundo pau. O marfinense acertou uma pancada na bola e mandou na lateral da rede, tirando do alcance de José Sá. Golaço. Quatro minutos depois, Kane matou o jogo. A partir de uma falta cobrada por Eriksen, o centroavante deu uma casquinha na bola e guardou. Depois de muita luta, o Olympiacos ainda tentou recobrar as forças no fim, mas não aproveitou sua única chance.

Não foi uma boa partida do Tottenham, especialmente pelo primeiro tempo. Em compensação, o time demonstrou garra e contou com seus protagonistas para arrancar o resultado. Dele Alli voltou a apresentar um pouco de seu futebol, enquanto Kane se fez decisivo. Lucas Moura foi outro a ajudar, enquanto Aurier contribuiu diretamente em três tentos. Ainda há uma longa caminhada na recuperação dos londrinos, mas uma virada dessas ajuda a motivar.

E o Tottenham nem precisará se preocupar com sua situação na última rodada. Com 10 pontos, o time garantiu a classificação, embora não possa mais alcançar o Bayern de Munique na liderança. O reencontro na Allianz Arena durante a última rodada servirá apenas para desfazer a péssima impressão deixada pelos 7 a 2 em Londres. Isso, é claro, se Mourinho não poupar o time e preservar seus principais jogadores também de qualquer trauma.

Classificações Sofascore Resultados