A Juventus tinha a necessidade de vencer neste domingo para retomar a liderança da Serie A. Após superar o Verona, a Internazionale assistia de camarote ao jogo da Velha Senhora. E, apesar da má fase do Milan, os juventinos encontrariam mais dificuldades que o esperado no clássico realizado em Turim. A apertada vitória por 1 a 0, afinal, nasceu graças ao brilhantismo de Dybala. O atacante saiu do banco no segundo tempo e anotou um belíssimo gol, que conseguiu romper o placar zerado na reta final. Os bianconeri retomaram o topo.

O clássico no Estádio Allianz teria um primeiro tempo truncado, sem tantas emoções. O Milan tentava travar a Juve, mas os anfitriões mostravam iniciativa e criaram a primeira chance mais clara. Aos 14, Gianluigi Donnarumma usou o pé para defender a batida rasteira de Gonzalo Higuaín. Os milanistas também conseguiam responder nas bolas alçadas e não marcaram porque Wojciech Szczesny realizou uma defesa fantástica pouco depois. Com a ponta dos dedos, o polonês desviou uma cabeçada venenosa de Lucas Paquetá.

O Milan, aliás, cresceu com o passar dos minutos e terminou a etapa inicial sendo mais perigoso. Com menos posse de bola, os rossoneri conseguiam bloquear a Juventus em seu campo e tinham mais espaços para atacar em velocidade. Pouco antes do intervalo, Szczesny voltaria a trabalhar, pegando dois chutes fortes dos rossoneri de média distância. Ao final da primeira etapa, os visitantes haviam finalizado até mais que os juventinos. De qualquer maneira, não era a partida mais técnica, com excessos de erros de ambos os lados.

Somente no segundo tempo é que a Juventus foi mais agressiva, com velocidade nas transições. Os bianconeri encontravam mais brechas para finalizar, ainda que não acertassem o pé. Logo aos oito minutos, Maurizio Sarri tiraria Cristiano Ronaldo. O craque sentiu dores no joelho novamente e deu lugar a Paulo Dybala. Uma alteração que se provaria vital, no fim das contas. Douglas Costa seria outro a sair do banco e ajudaria a acelerar as ações. Mas não que o Milan apenas se contivesse. Os rossoneri seguiam forçando Szczesny a trabalhar e o goleiro faria mais duas defesas, salvando especialmente uma falta cobrada por Hakan Çalhanoglu.

Dybala, por fim, resolveria aos 32. A Juventus construía uma boa jogada a partir de passes trocados, na tentativa de abrir a defesa do Milan. Entretanto, o buraco só surgiu graças ao talento do argentino. Dybala recebeu de Higuaín e deu um corte desconcertante em Alessio Romagnoli, ficando de frente com Donnarumma. Então, finalizou com precisão, num tiro cruzado para tirar do alcance do goleiro. O Milan ainda tentou reagir, mas Szczesny barrou a melhor chance, em chute de longe de Çalhanoglu. E o segundo gol juventino poderia ter saído nos últimos minutos, sem que Higuaín e Dybala concluíssem o resultado.

A Juventus está longe de encantar neste momento, mas segue um passo à frente na liderança da Serie A. Com três vitórias consecutivas, a equipe chegou aos 32 pontos, contra 31 da Internazionale. Descansa na Data Fifa, antes de ter uma complicada visita à Atalanta em Bérgamo. Já o Milan nem pode reclamar do tropeço, mas vive uma situação desconfortável. É o 14° colocado, com 13 pontos. Neste momento, está a apenas quatro pontos da zona de rebaixamento, enquanto a zona de classificação à Liga Europa já aparece a nove pontos de distância. A caminhada de recuperação será longa.

Classificações Sofascore Resultados